Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada)Bula do Princípio Ativo

Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) - Para que serve?

A Vacina Adsorvida Difteria , Tétano , Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) é indicada para imunização ativa de crianças a partir de dois meses de idade contra difteria, tétano, coqueluche e doenças causadas por Haemophilus influenzae tipo B.

Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada): Contraindicação de uso

A Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) está contraindicada para crianças que apresentaram reação anafilática sistêmica grave ( hipotensão , choque, dificuldade respiratória) nas primeiras duas horas após a aplicação de dose anterior (3) .

Devido à importância da imunização ativa contra o tétano e difteria, os indivíduos com história de reação anafilática à Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada), devem ser encaminhados a um especialista para verificar se têm alergia específica a estes componentes da vacina, de modo que a vacinação possa ser realizada com segurança utilizando a vacina dupla contra difteria e tétano infantil ou adulto, ou o toxóide tetânico (4) .

Não devem ser administradas doses subseqüentes da vacina contra a coqueluche às crianças em que se manifestou encefalopatia nos sete primeiros dias após vacinação anterior, mesmo que a associação causal com a vacina não possa ser estabelecida. O esquema vacinal básico será completado com a vacina dupla contra difteria e tétano infantil (4) .

As evidências científicas não sustentam uma relação causal entre a imunização que inclua o componente DTP e síndrome da morte súbita infantil, espasmos infantis, ou doença neurológica aguda que resulte em lesão neurológica permanente (4) .

Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada): Posologia e como usar

A Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) é apresentada como um pó liofilizado injetável branco homogêneo e uma suspensão injetável esbranquiçada e opalescente.

Deve ser usada seringa e agulha estéril para cada dose de vacina administrada.

A Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) deve ser administrada por via intramuscular.

Sob nenhuma circunstância deve ser administrada por via intravenosa.

Reconstituir o pó liofilizado com o volume total da suspensão injetável. Juntar lentamente, com auxílio de seringa e agulha estéreis, o conteúdo do frasco-ampola do componente DTP ao frasco-ampola do componente Hib liofilizado e agitar suavemente sem deixar que forme espuma, de maneira a obter uma suspensão homogênea (até a completa dissolução do liófilo). Após a reconstituição, a suspensão deve permanecer esbranquiçada e opalescente.

O componente DTP, a ser utilizado como diluente, e a vacina reconstituída, deve ser inspecionada visualmente para detecção de qualquer material particulado e/ou variação dos aspectos físicos antes da administração. Descartar e comunicar ao laboratório produtor, caso alguma partícula seja observada.

Após a reconstituição, o frasco-ampola deve ser mantido entre 2ºC e 8ºC ao abrigo da luz.

A suspensão da vacina após a reconstituição deve ser mantida a temperaturas de 2ºC a 8ºC.

Após a reconstituição, utilizar a vacina em até 5 (cinco) dias.

Posologia do Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada)

Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) - Reações Adversas

A adição do antígeno Hib à vacina contra DTP para aplicação em uma única injeção não implica em aumento significativo de reações adversas, sendo menor do que a soma das reações resultantes da aplicação separada e simultânea (5) .

Em estudo clínico controlado com a Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada), sinais e sintomas foram ativamente monitorados e registrados após a administração da vacina. Foram registradas reações locais e sistêmicas, que em geral, não foram consideradas graves e nem aumentaram a freqüência com as doses subseqüentes. Entre as reações locais, as mais freqüentemente relatadas dentro das primeiras 48 horas foram dor (36%) e rubor leve no local da injeção (34%), que desapareceram espontaneamente. Outros sintomas locais relatados foram edema leve (28%) e enduração no local da injeção.

As reações sistêmicas relatadas dentro das primeiras 48 horas, foram leves e desapareceram espontaneamente. A reação mais relatada foi febre variando de 37,5 a 38,9 ºC (39%), seguida de irritabilidade (34%), sonolência (21%), perda de apetite (9%), febre acima de 39 ºC (1%) (1) .

Também, podem ocorrer vômitos (6%) e choro prolongado e incontrolável (1%) (6) .

Em estudo de vigilância ativa de eventos adversos após a aplicação da Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) em 21.064 crianças, observaram-se episódios hipotônico-hiporresponsivos (hipotonia, diminuição da resposta a estímulos e alteração da cor da pele - palidez ou cianose ) na freqüência de 1:1505 crianças vacinadas e convulsão febril ou afebril na freqüência de 1:5266 crianças vacinadas. Não foram observados eventos graves em associação causal com a vacina (7) .

Reações alérgicas, incluindo reações anafiláticas têm sido relatadas raramente.

O componente pertussis pode ocasionar reações de menor ou maior gravidade como convulsões ou encefalopatia e episódios hipotônico-hiporresponsivos. Na eventualidade do surgimento de qualquer reação de natureza neurológica, a continuação de uso da vacina deve ser avaliada.

As reações adversas após a vacinação devem ser informadas ao centro de saúde e ao laboratório produtor.

Em casos de eventos adversos, notifique pelo Sistema VigiMed, disponível no Portal da Anvisa.

Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada): Superdose

Não existem registros de casos de superdosagem com a Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada). Nesses casos, deve-se procurar orientação médica, devendo tal ocorrência ser notificada imediatamente ao centro de saúde e ao laboratório produtor.

Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada): Interações medicamentosas

Não há interações descritas para esta vacina.

Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada): Precauções

Como ocorre com todas as vacinas injetáveis, supervisão e tratamento médico apropriados, devem estar prontamente disponíveis, caso ocorra um raro evento anafilático após a administração da vacina.

A administração da Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) deve ser adiada em crianças com quadro neurológico em atividade.

Nos casos em que, após uma dose prévia da Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada), a criança tenha apresentado convulsões (até 72h após a vacinação) e/ou eventos hipotônico-hiporresponsivos (até 48h após a vacinação), a vacina deve ser aplicada sob supervisão médica, em ambiente hospitalar, ou, de preferência, pode-se administrar separadamente, em locais de aplicação diferentes, as vacinas DTP acelular e contra Hib, também, sob supervisão médica.

Não se contraindica uma nova dose da Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) nos casos em que, até 48 horas após uma dose prévia desta vacina, a criança vacinada tenha apresentado febre superior a 39,5ºC e/ou crise de choro intenso e incontrolável (com duração de mais de 3 horas). Nestas situações, procedese normalmente a administração da Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) e recomenda-se o uso de analgésicos e antitérmicos profiláticos sob orientação médica.

O componente Hib não protege contra a doença causada por outros tipos de Haemophilus influenzae nem contra a meningite causada por outros microrganismos.

A infecção pelo vírus da imunodeficiência humana ( HIV ) não é considerada uma contraindicação para a administração da Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada).

Entretanto, crianças com imunodeficiências congênitas ou adquiridas podem não ficar protegidas contra as doenças que a vacina evita.

A criança não está devidamente protegida contra difteria, tétano e coqueluche e doenças causadas por Haemophilus influenzae tipo B, enquanto o esquema de vacinação recomendado pelas Autoridades de Saúde não estiver completo. Como ocorre com qualquer vacina, a Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) pode não oferecer proteção a 100% dos indivíduos que a recebem.

Não é recomendado o uso da Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) em pessoas com sete anos de idade ou mais.

Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada): Ação da substância no organismo

Resultados de Eficácia

A administração em larga escala da Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) no Brasil e em vários países, causou drástica redução (cerca de 95%) na incidência das meningites por Haemophilus influenzae tipo B e em 20% das pneumonias causadas por Haemophilus influenzae tipo B (1, 2) . Tem sido observada também a manutenção de baixa incidência das outras doenças para as quais a vacina está indicada (2) .

Referências Bibliográficas

1. Clemens SAC, Azevedo T, Homma A. Feasibility of the immunogenicity and safety of a novel DTPw/Hib (PRP-T) Brazilian combination compared to a licensed vaccine in healthy children at 2,4, and 6 months of age. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. mai-jun 2003; 36(3):321-330.
2. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmissíveis. Série histórica de óbitos e casos de doenças de Notificação Compulsória no Brasil (1980-2005). [Acessado em 20 julho 2006]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/svs/area.cfm?id_area=451.
3. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Centro Nacional de Epidemiologia. Coordenação de Imunizações e Auto-Suficiência em Imunobiológicos. Manual de Vigilância Epidemiológica dos Eventos Adversos Pós-Vacinação 1998;17-25.
4. American Academy of Pediatrics. [Pertussis (Whooping Cough)]. In: Pickering LK, Baker CJ, Long SS, McMillan JA, eds. Red Book: 2006 Report of the Committee on Infectious Diseases. 27th ed. Elk Grove Village, IL: American Academy of Pediatrics; 2006:[511].
5. Decker MD, Edwards KM, Bogaerts HH. Combination Vaccines. In: Plotkin SA, Orenstein WA (eds). Vaccines, 4th Edition. Philadelphia: Saunders 2004;825-861.
6. American Academy of Pediatrics. [Pertussis]. In: Peter G, eds. 1994 Red Book: Report of the Committee on Infectious Diseases. 23rd ed. Elk Grove Village, IL: American Academy of Pediatrics; 1994:[362].
7. Martins RM, Camacho LAB, Lemos MCF, Noronha TG, Carvalho MHC, Greffe N, Silva MM, Perisse AR, Maia MLS, Homma A. Eventos Adversos Associados à Vacina contra DTP/Hib no Programa Nacional de Imunizações Brasileiro. Dados de arquivo, Bio-Manguinhos/Fiocruz e Ministério da Saúde; aprovado para apresentação no 11º Congresso Mundial de Saúde Pública -Rio de Janeiro, 21-25 de agosto de 2006.

Características Farmacológicas

A vacina Hib é liofilizada, composta do polissacarídeo capsular poliribosil-ribitol fosfato (PRRP) purificado de Hib, covalentemente ligado ao toxóide tetânico. A vacina DTP é uma suspensão composta pelos toxóides diftérico e tetânico, obtidos pela inativação das respectivas toxinas pelo formaldeído, combinados com a vacina pertussis , obtida a partir da bactéria Bordetella pertussis inativada pelo formaldeído, adsorvidos em gel de hidróxido de alumínio e adicionados de timerosal como conservante.

As vacinas conjugadas de polissacarídeos-proteínas fazem parte de uma nova classe de vacinas, planejadas para imunizar crianças contra doenças causadas por bactérias cuja virulência está ligada à presença de cápsula de polissacarídeos extracelulares. Isto inclui a cepa de Haemophilus influenzae tipo b (Hib). Estes conjugados foram avaliados em crianças e todos efetivamente elevaram a resposta dependente da célula T.

Demonstrou-se clinicamente que as vacinas Hib são capazes de induzir imunidade de proteção nos grupos etários mais suscetíveis (isto é, crianças nos primeiros dois anos de vida).

Estudos realizados com a Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada), demonstraram alta imunogenicidade, com taxas de soroproteção equivalentes às da vacina de referência. As taxas de soroproteção anti-Hib (anti-PRP ≥ 0,15mg/mL) foram de 98% após 2 doses e 100% após 3 doses desta vacina. A soroproteção com níveis elevados de anticorpos contra Hib (≥ 1µg/mL), indicativa de soroproteção a longo prazo, foi obtida em 83% dos casos após 2 doses e 98% após 3 doses. Após a administração de 3 doses, as taxas de soroproteção anti- Bordetella pertussis e anti-tétano obtidas foram de 100%, enquanto que a taxa de soroproteção anti-difteria foi de 98%. Para garantir a imunidade a médio e longo prazo, é necessário que seja feito o esquema completo de vacinação, incluindo reforço, conforme orientado pelo Programa Nacional de Imunizações (1) .

A aplicação intramuscular da Vacina Adsorvida Difteria, Tétano, Pertussis + Haemophilus influenzae B (Conjugada) estimula a produção dos respectivos anticorpos. Os reforços são feitos com a vacina DTP, de acordo com as normas do Programa Nacional de Imunizações/MS.

Fonte do conteúdo

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.