Ácido PipemídicoBula do Princípio Ativo

Ácido Pipemídico - Para que serve?

Infecções das vias urinárias por microorganismos sensíveis ao ácido pipemídico (substância ativa desse medicamento).

Ácido Pipemídico: Contraindicação de uso

Pacientes com história de hipersensibilidade a um dos componentes da fórmula.

Este medicamento é contra-indicado na faixa etária abaixo de 2 anos.

Ácido Pipemídico: Posologia e como usar

Doses de 15 a 40 mg/kg/dia, via oral, divididos em 2 administrações, de 12 em 12 horas.

Dose de 400 mg (2 cápsulas de 200 mg ou 1 cápsula de 400 mg), via oral, a cada 12 horas. A apresentação de 200 mg permite o melhor ajuste posológico em casos particulares.

Agite o xarope antes de usar.

Doses de 15 a 40 mg/kg/dia, via oral, divididos em 2 administrações, de 12 em 12 horas.

O produto deverá ser administrado de preferência após as refeições, por um período médio de 10 dias, podendo ser prolongado a critério médico.

Deve-se assegurar uma diurese satisfatória mediante apropriada ingestão de líquido durante o tratamento.

Devem-se seguir as orientações gerais descritas na bula. Contudo, o tratamento deve ser iniciado com a dose mínima.

Ácido Pipemídico - Reações Adversas

As reações adversas reportadas com a administração de ácido pipemídico (substancia ativa deste medicamento), pouco freqüentes, e geralmente transitórias e de discreta intensidade, incluem:

Náuseas , gastralgia, anorexia , diarréia e, raramente, vômito ou constipação .

Erupções de tipo exantemático ou urticariformes, que raramente levam à interrupção do tratamento.

Em pacientes idosos, alterações neuro-sensoriais e psíquicas, vertigens e distúrbios do equilíbrio.

Ácido Pipemídico: Interações medicamentosas

Observou-se resistência cruzada do ácido pipemídico com outras quinolonas.

O efeito do fármaco pode ser antagonizado pela administração concomitante de nitrofurantoína .

O ácido pipemídico, como todos os quinolônicos, pode aumentar o efeito dos anticoagulantes orais .

Ácido Pipemídico: Precauções

Atenção diabéticos: contém açúcar - 650 mg/mL.

Este produto contém o corante amarelo de tartrazina que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma brônquica, especialmente em pessoas alérgicas ao ácido acetilsalicílico . O corante mencionado é parte da própria constituição da cápsula que contém o princípio ativo e excipientes deste medicamento.

O ácido pipemídico (substância ativa desse medicamento), em doses terapêuticas, não interfere nas funções hepática ou renal.

Nos pacientes com insuficiência renal severa, é aconselhável reajustar a posologia com base na depuração da creatinina.

Na vigência do tratamento, aconselha-se reduzir o tempo de exposição direta ao sol devido ao risco de fotossensibilização.

Estudos toxicológicos têm demonstrado que o ácido pipemídico pode produzir alterações nas cartilagens das articulações. Os efeitos são transitórios e reversíveis com a interrupção do tratamento.

Até o momento não foi constatado que este tipo de lesão tenha ocorrido em seres humanos.

Contudo, até que não se esclareça o significado destes estudos, é aconselhável proceder com cautela em pacientes pré-púberes e evitar a administração em crianças com idade inferior a 2 anos.

Ácido Pipemídico: Ação da substância no organismo

Características farmacológicas

Ácido Pipemídico (substância ativa desse medicamento) tem como princípio ativo o ácido pipemídico que é um quimioterápico específico para o tratamento das infecções do trato urinário. O espectro antibacteriano de Ácido Pipemídico (substância ativa desse medicamento) abrange a maior parte dos microorganismos Gram-negativos, inclusive Pseudomonas e gram-positivos, em particular os mais freqüentemente responsáveis pelas infecções urinárias , ainda que resistentes a outros quimioterápicos.

Sua ação, tipo bactericida, sobre os microorganismos em fase reprodutiva, não é afetada por variações, mesmo amplas, do pH urinário nem pela presença de pus. É muito bem absorvido por via oral, tanto após a alimentação como em jejum (o pico plasmático é alcançado 2 horas após a administração).

Quase não é metabolizado, sendo eliminado inalterado, principalmente pela urina e parte com as fezes. As concentrações urinárias são portanto, muito elevadas, detectando-se concentrações terapêuticas eficazes nos rins, próstata e tubo intestinal.

Ácido Pipemídico (substância ativa desse medicamento) é praticamente isento de toxicidade e não interfere nos sistema cardiovascular , neurovegetativo ou nervoso central. Ácido Pipemídico (substância ativa desse medicamento) é isento de nefro e ototoxicidade.

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.