RoxitromicinaBula do Princípio Ativo

Roxitromicina - Para que serve?

No tratamento das infecções causadas por microrganismos sensíveis à roxitromicina, em otorrinolaringologia, pneumologia, dermatologia, em infecções genitais, exceto as causadas por gonococos e na profilaxia da meningite meningocócica em contactantes.

Roxitromicina: Contraindicação de uso

Roxitromicina: Posologia e como usar

300 mg por dia de preferência antes das refeições, durante 10 dias.

Os comprimidos revestidos devem ser ingeridos preferencialmente em jejum, antes das refeições.

O período de tratamento é de 5 a 10 dias ou a critério médico.

300 mg, 2 vezes ao dia, por 4 semanas.

Roxitromicina - Reações Adversas

Podem ocorrer as seguintes reações adversas:

Podem ocorrer ainda cefaléia, tontura , fraqueza e alterações no hemograma.

Roxitromicina: Interações medicamentosas

O uso concomitante com Roxitromicina (substância ativa deste medicamento) pode causar necrose das extremidades.

Podem ocorrer aumento e/ou modificação nas concentrações plasmáticas dessas drogas.

Pode ocorrer aumento da concentração plasmática da bromocriptina, com possível aumento da atividade dopaminérgica.

Tem seus níveis séricos aumentados por inibição do seu catabolismo.

Pode ocorrer aumento nas taxas das transaminases. Informe ao laboratório clínico o uso de Roxitromicina (substância ativa deste medicamento).

Roxitromicina: Precauções

O Roxitromicina (substância ativa deste medicamento) não é indicado para o tratamento da gonorréia e das infecções causadas por Pseudomonas sp . A administração do Roxitromicina (substância ativa deste medicamento) não é recomendada em pacientes portadores de insuficiência hepática; quando necessário deve ser acompanhada de testes regulares da função hepática, e eventualmente uma redução posológica. Apenas 12% da dose administrada é excretada através dos rins, portanto, não é necessária a redução da posologia em caso de insuficiência renal.

Embora a meia-vida da roxitromicina seja alongada em pacientes idosos, não se faz necessária uma redução/modificação posológica, uma vez que as concentrações plasmáticas máximas da droga atingem um estado de equilíbrio após administração de doses repetidas.

Ainda não foi estabelecida a segurança do uso do Roxitromicina (substância ativa deste medicamento) durante a gravidez.

Embora seja pequena, apenas 0,05% da dose de roxitromicina é excretada no leite materno, portanto, não é aconselhada sua administração em mulheres lactantes.

Roxitromicina: Ação da substância no organismo

A roxitromicina é um antibiótico bactericida semi-sintético (derivado semi-sintético da eritromicina ), da família dos macrolídeos, que atua inibindo a síntese protéica da célula bacteriana. Difere da eritromicina por ter, na posição 9, em vez do átomo de oxigênio, o grupamento D-[(2-meoxi-etoxi)metil]oxima. Seu espectro antibacteriano natural é o seguinte: espécies habitualmente sensíveis: Streptococcus ambofaciens, Streptococcus mitis, S. sanguis, S.viridans, S. agalactiae, Pneumococcus, Meningococcus, Gonococcus, Bordetella pertussis, Branhamella catarrhalis, Corynebacterium diphteriae, Listeria monocytogenes, Clostridium, Mycoplasma pneumoniae, Pasteurella multocida, Chlamydia trachomatis e psittaci, Ureoplasma urealyticum, Legionella pneumophila, Campylobacter e Gardnerella vaginallis . Espécies variavelmente sensíveis: Haemophilus influenzae e Bacteroides fragilis . Espécies resistentes: Enterobactericeae e Pseudomonas sp .

A roxitromicina quando administrada por via oral, é rapidamente absorvida, a absorção diminui se tomada depois, mas não antes, de uma refeição; distribui-se amplamente nos tecidos e líquidos orgânicos; a ligação às proteínas plasmáticas é alta (96%), a fixação se dá principalmente à alfa-1 - glicoproteína ácida, sendo que esta ligação é saturável; o início de ação é rápido, atinge a concentração máxima, de 6 a 8mcg/mL, em cerca de duas horas, atinge o estado de equilíbrio; após doses repetidas de 150mg a cada 12 horas durante 10 dias, entre o segundo e o quarto dia, neste estado, as concentrações plasmáticas são: máxima, 9,3mg/L e mínima, 3,6mg/L; concentração 12 horas após uma dose: 1,8mg/L, em média; sofre biotransformação apenas parcial, no fígado ; meia-vida de eliminação: 8 a 13 horas (10,5h em média), mais prolongada em crianças; é excretada principalmente nas fezes, nas formas íntegra (mais de 50%) e de metabólitos.

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.