Polissacarideos de Haemophilus Influenzae BBula do Princípio Ativo

Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B - Para que serve?

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B é indicada para imunização ativa de todos as crianças, com idade entre 2 meses e 5 anos, contra doenças invasivas causadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b ( meningite , epiglotite, infecções do sangue, celulite , artrite , pneumonia ).

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B não protege contra a doença causada por outros tipos de Haemophilus influenzae nem contra a meningite causada por outros microrganismos.

Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B: Contraindicação de uso

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B não deve ser administrada a indivíduos com conhecida hipersensibilidade a qualquer componente da vacina, ou a indivíduos que apresentaram sinais de hipersensibilidade após administração prévia do Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B.

Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B: Posologia e como usar

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B é apresentada como um pó liofilizado branco homogêneo e o diluente, como uma solução estéril e incolor.

Deve ser usada seringa e agulha estéril para cada dose de vacina administrada.

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Antes de usar observar o aspecto do medicamento.

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B deve ser administrada por via intramuscular profunda. Nas crianças com menos de dois anos de idade, a injeção é feita no vasolateral da coxa. A região deltóide, face externa superior do braço é utilizada preferencialmente para a administração da vacina nos maiores de dois anos de idade. Em adultos, pode também ser utilizada a região glútea no quadrante superior externo.

A vacina deve ser reconstituída adicionando-se todo o conteúdo do recipiente de diluente fornecido para o frasco ampola contendo o liófilo. Após a adição do diluente ao liófilo, realizar movimento rotativo com o frasco ampola para uma perfeita homogeneização da vacina, a mistura deve ser agitada até total dissolução, apresentando-se como um líquido límpido e incolor.

O diluente e a vacina reconstituída devem ser inspecionados visualmente para detecção de qualquer material particulado e/ou variação dos aspectos físicos antes da administração. Caso alguma partícula seja observada, descartar e comunicar ao laboratório produtor.

No momento da reconstituição o diluente deve estar entre 2ºC e 8ºC, devendo ser colocado sob refrigeração um dia antes do seu uso.

Quando usar o frasco ampola de 5 ou de 10 doses, cada dose deve ser extraída com uma agulha e uma seringa estéreis sob condições assépticas estritas e tomadas as precauções para evitar a contaminação do conteúdo.

Após a reconstituição, a vacina deve ser mantida em temperatura de 2 ºC a 8 ºC, e ao abrigo da luz, podendo ser utilizados por até no máximo cinco dias.

Após a reconstituição, utilizar a vacina em até 5 (cinco) dias.

Posologia do Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B

O esquema de vacinação primária com o Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B pode iniciar-se a partir de 6 semanas de idade. Como os esquemas de vacinação variam de um país para outro, o esquema para cada país pode ser usado de acordo com as diferentes recomendações nacionais.

Deve-se administrar uma dose da vacina em crianças de 1 a 5 anos de idade não vacinadas previamente.

Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B - Reações Adversas

Raramente ocorrem reações à administração do Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B, e quando acontecem, são locais (dor inchaço e enduração) e febre nas primeiras 48 horas (1, 4).

Não há relato de evento pós-vacinal grave que possa ser atribuído à Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B.

As reações adversas após a vacinação devem ser informadas ao centro de saúde e ao laboratório produtor.

Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B: Interações medicamentosas

Não há interações descritas para esta vacina.

Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B: Precauções

Assim como com todas as vacinas injetáveis, o tratamento médico apropriado e supervisão devem sempre estar prontamente disponível em caso de um raro evento anafilático após a administração da vacina. Por esta razão, o vacinado deve permanecer sob supervisão médica por 30 minutos após a vacinação.

Assim como acontece com outras vacinas, a administração do Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B deve ser adiada em indivíduos sofrendo de doença febril aguda. A presença de uma infecção leve não é uma contraindicação absoluta para a vacinação, no entanto deve ser seguida a recomendação médica.

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B deve ser administrada por via subcutânea a pacientes com trombocitopenia ou com algum distúrbio de sangramento.

A infecção com o Vírus da Imunodeficiência Humana ( HIV ) não é considerada como uma contra-indicação para a administração do Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B.

Embora uma limitada resposta imune ao componente da anatoxina tetânica possa ocorrer, a vacinação somente com o Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B não substitui a vacinação rotineira contra o tétano .

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B , sob nenhuma circunstância, deve ser administrada por via intravenosa.

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B, é de uso pediátrico, portanto, informações sobre a segurança da vacina quando usada durante a gravidez ou lactação não estão disponíveis.

A vacinação de outros grupos etários pode ser realizada, em situações específicas, de acordo com recomendações das Autoridades de Saúde.

Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B: Ação da substância no organismo

Resultados de Eficácia

A administração em larga escala do Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B no Brasil e em vários países, causou drástica redução (cerca de 95%) na incidência das meningites causados por Haemophilus influenzae tipo B e em mais de 20% das pneumonias de qualquer etiologia, radiologicamente definidas.

Características Farmacológicas

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B é uma vacina liofilizada do polissacarídeo capsular poliribosil-ribitol fosfato (PRRP) purificado de Hib, covalentemente ligado à anatoxina tetânica.

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B atende aos requisitos da OMS para fabricação de substâncias biológicas e de vacinas conjugadas Hib.

O Polissacarideos de Haemophilus Influenzae B, como as vacinas conjugadas polissacarídeos-proteínas, faz parte de uma nova classe de vacinas planejadas para imunizar crianças contra doenças causadas por bactérias, cuja virulência está ligada à presença de cápsula constituída por polissacarídeos. Isto inclui o Haemophilus influenzae tipo B. Estes conjugados foram avaliados em crianças e foi demonstrado que ativaram a resposta dependente da célula T.

Demonstrou-se clinicamente que as Vacinas Haemophilus influenzae b (Conjugada) são capazes de induzir imunidade de proteção nos grupos etários mais susceptíveis, isto é, crianças nos primeiros dois anos de vida.

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.