Imunoglobulina Antibotrópica (Pentavalente) e Antilaquética Bothrops jararaca e Lachesis mutaBula do Princípio Ativo

Imunoglobulina Antibotrópica (Pentavalente) e Antilaquética Bothrops jararaca e Lachesis muta - Para que serve?

O Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp (substância ativa) é indicado para o tratamento do envenenamento causado pela picada de serpentes do gênero Bothrops ( Bothrops jararaca , Bothrops jararacussu , Bothrops alternatus , Bothrops moojeni e Bothrops neuwiedi ) e do gênero Lachesis sp ( Lachesis muta ).

Não é recomendado nos acidentes causados por serpentes dos gêneros Crotalus (cascavel e boicininga) e Micrurus (coral).

Imunoglobulina Antibotrópica (Pentavalente) e Antilaquética Bothrops jararaca e Lachesis muta: Contraindicação de uso

O Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp não possuem contraindicações, porém, nos pacientes com antecedentes alérgicos à proteína de origem equina ou aos componentes da fórmula, a injeção intravenosa do Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp deve ser feita com assistência médica, para o controle de possíveis reações adversas à soroterapia.

Imunoglobulina Antibotrópica (Pentavalente) e Antilaquética Bothrops jararaca e Lachesis muta: Posologia e como usar

Como a captura e a identificação da serpente causadora de acidente são raramente realizadas, o diagnóstico diferencial entre acidente laquético e botrópico, na Amazônia, não é possível na maioria dos casos. No entanto, os fenômenos compatíveis com ativação do sistema nervoso autônomo parassimpático (exclusivos do acidente laquético) seriam suficientemente precoces e intensos para a diferenciação com o acidente botrópico, orientando a terapêutica específica.

Amazônia e Mata Atlântica (aproximadamente do norte do Rio de Janeiro até a Paraíba). O Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp deve ser administrado o mais precocemente possível, por via intravenosa, em solução diluída em soro fisiológico ou glicosado.

A dose de Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp deve atender aos critérios de classificação da gravidade conforme tabela abaixo:

* O membro picado é dividido em 5 segmentos: 1) pé/mão; 2) ½ distal da perna/antebraço; 3) ½ proximal da perna/antebraço; 4) ½ distal da coxa/braço; 5) ½ proximal da coxa/braço.

A gravidade de um acidente laquético é avaliada segundo os sinais locais, e pela intensidade das manifestações vagais (bradicardia, hipotensão arterial, diarreia )e é classificado como moderado ou grave, sendo preconizada pelo Ministério da Saúde administração de 10 a 20 ampolas do Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp por via intravenosa. O controle da eficácia do Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp deve ser realizado pela determinação do tempo de coagulação 12 e 24 horas após o término da soroterapia.

Se decorridas as 12 horas, o tempo de coagulação permanecer incoagulável (acima de 30 minutos), ou se após 24 horas não estiver normalizado, recomenda-se dose adicional de 2 ampolas de Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp .

Imunoglobulina Antibotrópica (Pentavalente) e Antilaquética Bothrops jararaca e Lachesis muta - Reações Adversas

Reação precoce que pode ocorrer em indivíduos previamente sensibilizados ou não. Surge, em geral, durante e nas primeiras horas após a administração do soro, com ampla variação na sua intensidade. Trata-se de um evento não previsível e cujo controle depende da detecção precoce da manifestação alérgica, da disponibilidade de acesso venoso e drogas para o tratamento imediato da reação. A intensidade pode variar desde um leve prurido até choque irreversível e/ou insuficiência respiratória aguda, sendo os quadros graves bastante raros.

Reação tardia bem menos frequente que a reação precoce, o mecanismo está relacionado à hipersensibilidade do tipo III ao soro equino, com formação de complexos imunes, sendo comumente denominada como doença do soro. Surge de 5 a 24 dias após a administração do soro e apresenta, em geral, pouca gravidade.

O quadro clínico caracteriza-se por febre baixa, prurido ou urticária generalizados, artralgias, linfadenopatia, edema periarticular e proteinúria.

Glomerulopatia e neuropatia são teoricamente possíveis não sendo, entretanto, descritas na literatura. A evolução pode ocorrer espontaneamente em 2 a 4 dias ou com tratamento à base de corticosteroides e anti-histamínicos sistêmicos.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotside/notivisa/index.htm , ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Imunoglobulina Antibotrópica (Pentavalente) e Antilaquética Bothrops jararaca e Lachesis muta: Interações medicamentosas

A interação com outros medicamentos não impede a utilização do Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp (substância ativa), porém devem ser evitadas drogas de ação depressora do SNC. Todo medicamento que estiver sendo utilizado pelo paciente deve ser informado ao médico.

Imunoglobulina Antibotrópica (Pentavalente) e Antilaquética Bothrops jararaca e Lachesis muta: Precauções

Solicitar informações ao paciente quanto ao uso de soro heterólogo de origem equina (antirrábico, antitetânico, antiaracnídico, antiescorpiônico e antiofídicos) e problemas alérgicos de causas diversas. Face a afirmações positivas, considerar o potencial de reações adversas.

O Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp pode ser usado em idosos, crianças e grupos de risco desde que seja com assistência médica.

Imunoglobulina Antibotrópica (Pentavalente) e Antilaquética Bothrops jararaca e Lachesis muta: Ação da substância no organismo

Resultados de Eficácia

Dados do estudo de eficácia em pacientes adultos e pediátricos, que receberam o tratamento com o Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp (substância ativa), forneceram evidências que aprovam a segurança e eficácia dos soros hiperimunes fabricados pelo Instituto Vital Brazil S.A. A capacidade em neutralizar as atividades tóxicas do veneno é comprovada através de modelos animais de laboratório e pelo uso sistêmico em pacientes.

Características Farmacológicas

O Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp é uma solução que contém imunoglobulinas (IgG) purificadas, obtidas a partir de plasma de equinos hiperimunizados com veneno de serpente do gênero Bothrops ( Bothrops jararaca , Bothrops jararacussu , Bothrops alternatus , Bothrops moojeni e Bothrops neuwiedi ) e equinos hiperimunizados com veneno de serpente do gênero Lachesis ( Lachesis muta ). A ação farmacológica do Soro Antibotrópico (Pentavalente) e Antilaquético + Imunoglobulina Heteróloga Contra Veneno de Bothrops sp e Lachesis sp consiste na neutralização das ações tóxicas dos diversos componentes destes venenos.

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.