Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de LidocaínaBula do Princípio Ativo

Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína - Para que serve?

Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína: Contraindicação de uso

Este medicamento é contraindicado para pacientes com alergia a um ou mais componentes da fórmula.

Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína: Posologia e como usar

Para reconstituição, utilizar somente o diluente que compõe o produto Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína.

Após a reconstituição, reaspirar todo o conteúdo do frasco-ampola e administrar imediatamente, por via intramuscular, utilizando técnica de injeção apropriada.

Posologia do Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína

O limite máximo diário de administração de Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína é de uma ampola.

Caso Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína seja administrado inadvertidamente por via endovenosa, esperam-se efeitos medicamentosos e reações adversas da lidocaína ( depressão da função miocárdica e alterações neurológicas), próprias desta via de administração e da quantidade injetada.

Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína - Reações Adversas

Podem ocorrer fenômenos de alergia associados aos componentes de Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína.

Em casos de eventos adversos, notifique pelo Sistema VigiMed, disponível no Portal da Anvisa.

Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína: Superdose

Não são conhecidas as complicações de superdose com o uso de Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína. Devido à via de administração, é improvável a ocorrência de superdose com Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína: Interações medicamentosas

Álcool interfere na quantidade no sangue de UTP, um dos componentes de Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína, devido ao aumento do consumo celular de ATP. Este fenômeno está associado à diminuição da disponibilidade desta última aos processos de resgate da uridina sanguínea.

Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína: Precauções

A administração de Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína a pacientes portadores de anemia megaloblástica por carência de vitamina B12 , concomitante à neuropatia periférica, pode causar hipopotassemia, devido ao efeito terapêutico da hidroxocobalamina sobre a hematopoiese. Pode surgir anticorpo inibidor do complexo hidroxocobalamina-transcobalamina II em pacientes tratados com hidroxocobalamina.

Categoria de risco às mulheres grávidas: C.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína: Ação da substância no organismo

Resultados de Eficácia

Em um ensaio clínico randomizado e duplo-cego, Goldberg et al. avaliaram a eficácia e a tolerância da administração oral da associação dos nucleotídeos UTP e CMP com Hidroxocobalamina, em pacientes apresentando alterações ortopédicas degenerativas em coluna vertebral e quadril complicadas com compressão neural e dor neuropática.

Os autores concluíram que a associação dos nucleotídeos UTP e CMP com Hidroxocobalamina, foi segura e eficaz no tratamento de neuralgias decorrendo de alterações traumato-compressivos de origem ortopédica.

Em um estudo auto-pareado, Nunes et al. avaliaram os efeitos da administração intramuscular da associação dos nucleotídeos UTP e CMP com Hidroxocobalamina em 120 pacientes por 6 dias. Durante este período, ocorreram eventos adversos em 6,7% dos indivíduos. Náuseas, cefaleia e dor no local da injeção foram as ocorrências mais comuns, não tendo havido exclusão do estudo de nenhum paciente por problemas de tolerabilidade.

Referências Bibliográficas

1. GOLDBERG, H.; SCUSSEL JUNIOR, A. B.; COHEN, J. C.; RZETELNA, H.; MEZITIS, S. G. E.; NUNES, F. P.; OZERI, D.; DAHER, J. P.; NUNES, C. P.; OLIVEIRA, L.; GELLER, M. Neural compression-induced neuralgias: clinical evaluation of the effect of nucleotides associated with vitamin B12. RBM. Revista Brasileira de Medicina (Rio de Janeiro), v. 66, p. 380-385, 2009.
2. NUNES, C. P.; SCUSSEL JUNIOR, A. B.; GOLDBERG, H.; GOLDWASSER, G.; OLIVEIRA, L.; REZETELNA, H.; MIBIELLI, M. A. ; SANTOS, A. ; GELLER, M. Alcoholic Polyneuropathy: Clinical Assessment of Treatment Outcomes following therapy with nucleotides and Vitamin B12. IBIMA Publishing, v. 2013, p. 1, 2013.

Características Farmacológicas

Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína é composto pelos ribonucleotídeos pirimidínicos CMP e UTP ligados a radicais de sódio, tornando-se portanto um sal. Seu papel farmacológico consiste na sua integração às vias metabólicas de síntese da bainha de mielina e da membrana celular neuronal como molécula de transferência, como precursores do RNA neuronal e como agonistas de receptores P2Y neuronais, principalmente em situações de síntese bioquímica intensificada, como por exemplo, durante processos regenerativos. À desintegração mecânica do binômio axônio-glial se seguirá um processo degenerativo-regenerativo, no qual a velocidade das vias anabólicas mielínicas e axolemais, bem como a taxa de transcrição e tradução genômicas, estarão aceleradas. Como elemento integrante destes processos e juntamente a outros metabólitos importantes, os nucleotídeos deverão ser utilizados em uma quantidade superior àquela basal.

Como fato adicional, sabe-se que neurônios não são autossuficientes quanto à reciclagem e síntese de nucleotídeos a partir de seus precursores metabólicos fundamentais, dependendo em grande parte do aporte externo de nucleosídeos, mesmo em condições basais (dados experimentais). Seria necessário, portanto, o seu suplemento em condições de anabolismo acelerado, quer fisiologicamente ou sob a forma de reposição farmacológica. A ação agonista dos nucleotídeos sobre receptores P2Y neuronais leva a um aumento da síntese de fostatidilcolina de membrana celular neuronal.

Os nucleotídeos administrados oralmente são degradados em nucleosídeos e bases nitrogenadas no tubo digestivo, antes de serem captados pelo epitélio intestinal.

A Lidocaína é um anestésico local do tipo amida, que tem a função de aliviar a dor provocada pela injeção intramuscular de Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina + Cloridrato de Lidocaína. Seu mecanismo de ação se baseia em seu bloqueio aos canais rápidos de sódio das terminações nervosas locais, impedindo assim a transmissão do impulso nervoso.

Fonte do conteúdo

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.