Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-AgarBula do Princípio Ativo

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar - Para que serve?

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar é indicado para o tratamento sintomático da constipação e para facilitar a evacuação intestinal.

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar: Contraindicação de uso

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar é contra-indicado a pacientes com hipersensibilidade a substâncias do grupo triarilmetano ou a qualquer componente da fórmula.

Também é contra-indicado nos casos de colopatias orgânicas complementares (enfermidades de Crohn, retocolite ulcerativa), síndrome oclusiva e suboclusiva, síndromes dolorosas e abdominais sem diagnóstico e a pacientes com quadros abdominais agudos (por ex. obstrução intestinal ).

O uso de qualquer tipo de laxativo é contra-indicado no caso de sintomas de apendicite, sangramento retal não diagnosticado, ou caso não haja funcionamento do intestino por apenas 1 ou 2 dias.

O óleo mineral não é recomendado para pacientes com disfagia , idosos ou pacientes acamados, uma vez que a aspiração de gotículas, pode produzir pneumonia lipídica. Sendo administrado ao deitar-se, o paciente não deve estar reclinado para evitar a aspiração de gotículas de óleo mineral.

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar: Posologia e como usar

Agite bem antes de usar.

1/2 a 2 colheres de sopa (7,5 a 30 mL) ao deitar-se.

As mesmas orientações dadas aos pacientes adultos devem ser observadas para os pacientes idosos, considerando-se as contra-indicações, advertências e precauções, interações medicamentosas e reações adversas.

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar - Reações Adversas

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar pode provocar dores abdominais (mal-estar abdominal tipo cólica ) ou diarréia, especialmente em pacientes com síndrome de cólon irritável.

Por interferir na absorção de anticoagulantes orais e diminuir a absorção de vitamina K, o óleo mineral pode levar a um aumento dos efeitos anticoagulantes. O óleo mineral também pode levar a uma irritação da pele ao redor da área retal.

Durante o período pós-comercialização, foram relatados eventos adversos de intensidade leve, predominantemente relacionados a pele e ao sistema digestivo, ou menos freqüentemente, eventos adversos sérios, os quais foram resolvidos.

Em casos de dores abdominais, náuseas , vômito ou outros sintomas digestivos , suspender o tratamento e consultar um médico.

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar: Interações medicamentosas

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar apresenta interação com medicamentos antiarrítmicos (tipo quinina), sotalol, amiodarona , vincamina, digitálicos, fármacos hipocalemiantes ( anfotericina B , corticóides e diuréticos hipocalemiantes, isolados ou associados), anticoagulantes derivados da cumarina e da indanediona, vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K) e contraceptivos orais .

O uso concomitante de antibióticos de amplo espectro pode reduzir a ação laxante do produto.

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar: Precauções

O tratamento medicamentoso da constipação não é mais que um adjuvante do tratamento higiênico dietético.

O uso prolongado ou uma superdosagem podem provocar diarréia com perda excessiva de água e eletrólitos, particularmente potássio, como também desenvolvimento de cólon atônico não funcionante.

Os laxativos não devem ser administrados ininterruptamente por períodos superiores a 1 semana, exceto por aconselhamento médico. Não devem ser administrados em intervalos inferiores a 2 horas antes ou depois da administração de outros medicamentos.

O uso excessivo de laxantes pode provocar situação de "dependência" que requer a ingestão regular de laxantes, sendo necessário o aumento da posologia em caso de constipação grave; Pode provocar também "enfermidade dos laxantes" com colopatia funcional grave, melanose reto-colônica e alterações hidroeletrolíticas com hipocalemia .

A administração de laxantes sem recomendação médica não é indicada em casos de dores abdominais, estomacais, náuseas ou vômitos.

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar não deve ser administrado num intervalo inferior a 2 horas das refeições pois o óleo mineral pode interferir na absorção de nutrientes e vitaminas.

Diarréia crônica, vômito, dor abdominal, sensação de fadiga , sede, fraqueza, edema , dor óssea resultante de osteomalácia e perda de peso.

O uso repetido de óleo mineral pode levar a uma diminuição da absorção de alimentos, vitaminas lipossolúveis e algumas medicações via oral. O óleo mineral pode também reduzir o efeito terapêutico do estrógeno.

Atenção: este medicamento contém açúcar, portanto, deve ser usado com cautela em diabéticos.

Como ocorre com todos os fármacos, Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar poderá ser utilizado durante a gravidez somente sob estrita orientação médica, se o potencial benefício justificar o potencial risco para o feto.

Uma vez que o uso repetido de óleo mineral diminui a absorção de alimentos, vitaminas lipossolúveis e alguns medicamentos de uso oral, pode ocorrer hipoprotrombinemia ou doença hemorrágica do neonato, se usado durante a gravidez.

Embora as investigações não tenham demonstrado a presença do medicamento no leite materno, o uso de Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar não é recomendado durante a lactação.

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar não deve ser administrado a crianças menores de 12 anos de idade.

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar: Ação da substância no organismo

Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar é um medicamento com atividade laxante, que modifica o intercâmbio hidroeletrolítico intestinal e estimula a motilidade do cólon.

É uma associação de picossulfato de sódio (um derivado difenilamínico), óleo mineral (uma mistura de hidrocarbonetos alifáticos obtido do petróleo) e de agar-agar (um polímero sulfatado de galactose extraído de várias espécies de algas vermelhas).

O picossulfato de sódio é um laxativo estimulante, cuja atividade catártica depende de sua conversão em grupos difenólicos livres. É hidrolisado no intestino grosso por enzimas bacterianas resultando na substância ativa 4,4’-diidroxifenil-(-2-piridil)metano (DPM). Este ativo aumenta a atividade peristáltica do intestino por irritação da mucosa.

O óleo mineral sendo um laxativo de ação lubrificante, parece não possuir ação farmacológica no trato gastrintestinal. O óleo mineral, por apresentar-se sob a forma emulsionada no Picossulfato de Sódio + Óleo Mineral + Agar-Agar, amolece a massa fecal de forma mais eficiente, facilitando a evacuação. Também forma um filme impermeável na superfície das fezes e do intestino, facilitando a passagem do conteúdo intestinal, o que caracteriza sua ação laxativa lubrificante.

O agar-agar é um agente formador de massa fecal. Seu efeito terapêutico deve-se à capacidade de absorção e retenção de água inerente ao agar seco. Sua ação é mecânica, formando com a água um gel emoliente ou uma solução viscosa que age mantendo as fezes amolecidas e hidratadas. A massa resultante promove o peristaltismo, regulando os movimentos intestinais.

Após a administração oral, o picossulfato de sódio atinge o cólon sem absorção importante, apresentando baixos índices de circulação êntero-hepática. Após a administração, apenas pequenas quantidades do fármaco estarão disponíveis na circulação sistêmica. O início de ação ocorre de 6 a 12 horas após a ingestão, sendo determinado pela liberação da substância ativa. A eliminação urinária indica existir um baixo nível sistêmico após administração oral. Não existe relação entre o efeito laxativo e os níveis plasmáticos de difenol ativo. Testes de toxicidade aguda em várias espécies animais não demonstraram qualquer tipo de sensibilidade específica. Os testes de toxicidade crônica em ratos e cães não mostraram efeitos tóxicos. Os estudos sobre mutagenicidade não apresentaram sinais de um potencial mutagênico ou genotóxico. Não se dispõe de estudos a longo prazo para um potencial tumorigênico em experimentos animais. Não ocorreram efeitos te-ratogênicos em ratas e coelhas que receberam doses de 100 mg/kg/dia de picossulfato de sódio.

O óleo mineral é uma substância indigerível e é absorvida somente numa região do trato gastrintestinal. Sob a forma de emulsão estável, sua ação terapêutica é mais efetiva, uma vez que melhora sua absorção.

Não há relatos de toxicidade aguda específicos para o óleo mineral como laxante.

O agar-agar não é tóxico e atravessa o trato gastrintestinal sem ser absorvido. Não existem relatos de intoxicação pela ingestão de agar-agar.

Fonte do conteúdo

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.