Maytenus ilicifoliaBula do Princípio Ativo

Maytenus ilicifolia - Para que serve?

Dispepsia , coadjuvante no tratamento de úlcera gástrica.

Maytenus ilicifolia: Contraindicação de uso

Não se deve administrar a tintura , por conter álcool, a pessoas sensíveis e/ou dependentes do álcool e a pcientes hipersensíveis a droga.

Lactantes devem evitar o uso, pois pode ocorrer redução da secreção láctea (Santos C, et al . Plantas medicinais 1988).

Maytenus ilicifolia: Posologia e como usar

Pode ocorrer a precipitação na tintura devido à composição química do medicamento, este fato não causará alteração nos princípios ativos. Agite o frasco antes de usar. A solução oral deve ser tomada com um pouco de água.

Tome as cápsulas sempre fechadas, sem parti-las ou mastigá-las.

Posologia do Maytenus ilicifolia

A dose diária permitida é de 60 a 90 mg de taninos totais, por via oral.

Ingerir 2,5mL (copo medidor) diluídos em água, 2 a 3 vezes ao dia, antes das principais refeições ou a critério médico.

Ingerir 2 cápsulas de 500mg, 2 vezes ao dia, antes das principais refeições ou a critério médico.

O tratamento deve ser mantido enquanto persistirem os sintomas ou a critério médico. Aconselham-se tratamentos descontínuos para não irritar a mucosa gástrica.

Maytenus ilicifolia - Reações Adversas

Sensação da boca seca, náusea e dor de estômago, que cedem com a descontinuidade do uso do medicamento.

Maytenus ilicifolia: Interações medicamentosas

Não há registros de interações medicamentosas na literatura consultada.

Maytenus ilicifolia: Precauções

Evitar o uso em mulheres em tratamento de infertilidade ou com dificuldade de levar a gravidez até o fim (FAD.B), assim como em pacientes com câncer estrógeno-dependente.

Não deve ser utilizado em pacientes com caso de hipersensibilidade a algum dos componentes da fórmula e lactantes.

Maytenus ilicifolia: Ação da substância no organismo

Resultados de Eficácia

Grande parte dos estudos com Maytenus ilicifolia foram realizados no Brasil. Um deles, realizado no Recife, constatou que o triterpeno maitenina apresenta atividade antibacteriana in vitro com bactérias Gram positivas (Gonsalves de Lima, 1971; Simões et al ., 1986; Fernández J. et al ., 1996).

Na Argentina foi comprovada a atividade contra microrganismos Gram positivos e Gram negativos no extrato alcoólico e aquoso de Maytenus ilicifolia (Amani S. et al , 1997).

Na Escola Paulista de Medicina, estudou-se o efeito antiulcerogênico, administrando-se por via oral e intraperitonial, em ratas com úlcera gástricas induzidas, tomando como referência medicamentos convencionais como ranitidina e cimetidina . A Maytenus ilicifolia desenvolveu um efeito antiulcerogênico, muito importante, semelhante a cimetidina (Carlini E. et al ., 1998; Souza O. et al ., 1991; Carvalho E. et al ., 1997).

Os compostos responsáveis pelo efeito foram identificados como os triterpenos friedelina e fridelanol e os taninos condensados pertencentes ao grupo das catequinas (Martins A. et al ., 1997).

Foi realizado um estudo com 23 pacientes com dianóstico de dispepsia não ulcerativa, com sintomas de dor gástrico e acidez, durante 28 dias. 13 pacientes receberam cápsulas de 200mg de extrato liofilizado de infusão de Maytenus ilicifolia uma vez ao dia. Os 10 pacientes restantes receberam medicamento placebo. O grupo que recebeu o preparado ativo apresentou melhorias substanciais comparando com o placebo. Não houve relatos de efeitos adversos ou colaterais (Carlini et al ., 1988).

Características Farmacológicas

Dentre os componentes químicos presentes nas folhas que revelaram ação terapêutica, destacam-se: Terpenos (maitenina); triterpenos (friedelina e friedelinol); taninos (catequinas) e trações de sais minerais tais como ferro , enxofre, sódio, cálcio.

São descritos ações tais como: tonificante, antiúlcera, carminativa, cicatrizante, anti-séptica, levemente diurética e laxativa, auxiliando também na eliminação de gases intestinais. Sua propriedade tonificante se deve a reintegração das funções estomacais.

Na Escola Paulista de Medicina foi avaliado o efeito anti-ulcerogênico da Maytenus ilicifolia e o resulto revelou um efeito importante, mostrando atividade protetora sobre a mucosa gástrica similar a fármacos anti-histamínicos de receptores H2, como a cimetidina e a ranitidina, que promove a diminuição da secreção do ácido clorídrico e consequente aumento do volume e pH da secreção gástrico (Alonso R.J. 1998).

Fonte do conteúdo

Fonte: Bula do Medicamento Espinheira Santa EC.

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.