LevamisolBula do Princípio Ativo

Levamisol - Para que serve?

Terapêutica específica da ascaridíase .

Levamisol: Contraindicação de uso

Hipersensibilidade ao Levamisol ou aos excipientes da formulação.

Não há outras contraindicações absolutas ao uso do Levamisol.

Levamisol: Posologia e como usar

40 mg (1/2 comprimido de 80 mg).

80 mg (1 comprimido de 80 mg).

150 mg (1 comprimido de 150 mg).

Não há necessidade do uso concomitante de laxativos nem qualquer restrição alimentar, podendo ser tomado a qualquer hora. Entretanto, para maior conveniência do paciente, recomenda-se sua administração preferencialmente ao deitar.

Levamisol - Reações Adversas

As reações adversas são apresentadas nesta seção. Reações adversas são eventos adversos que foram considerados razoavelmente associados ao uso de Levamisol, com base na avaliação abrangente das informações disponíveis sobre eventos adversos. Em casos individuais, uma relação causal com o Levamisol não pode ser estabelecida com confiança. Portanto, pelo fato de que os estudos clínicos são conduzidos em condições amplamente variadas, as taxas de reações adversas observadas nos estudos clínicos de um medicamento não podem ser comparadas diretamente com as taxas nos estudos clínicos de outros medicamentos e podem não refletir as taxas observadas na prática clínica.

A segurança de Levamisol foi avaliada em 6799 pacientes que participaram de 13 estudos clínicos de Levamisol usado para o tratamento de infestações. Entre estes estudos 6 foram realizados apenas com Levamisol, 4 eram controlados com placebo e com comparador ativo (pamoato de pirantel, piperazina, tiabendazol e mebendazol ), 2 eram controlados com ativo (piperazina) e 1 era controlado com placebo.

Dor abdominal (1,1%).

Darreia, náusea, vômito .

Erupção cutânea.

As reações adversas primeiramente identificadas durante a experiência pós-comercialização com Levamisol são apresentadas a seguir. As reações adversas são apresentadas por categoria de frequência, com base em taxas de relatos espontâneos e na incidência em estudos epidemiológicos.

Disgeusia, encefalopatia, cefaleia , parosmia.

Prurido.

Pirexia.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificação de Eventos Adversos a Medicamentos - VIGIMED, disponível em http://portal.anvisa.gov.br/vigimed, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Levamisol: Interações medicamentosas

Levamisol produziu efeitos adversos do tipo dissulfiram quando coadministrado ao álcool. O uso concomitante de Levamisol com bebidas alcoólicas não é recomendado.

Levamisol pode aumentar o efeito anticoagulante de drogas cumarínicas. O efeito anticoagulante deve ser titulado e monitorado com cuidado.

Levamisol coadministrado com albendazol reduziu significativamente a área sob a curva (ASC) do sulfóxido de albendazol. A segurança e a eficácia de Levamisol coadministrado com albendazol não foram estabelecidas.

Levamisol coadministrado com ivermectina aumentou significativamente a ASC da ivermectina. A segurança e a eficácia da administração concomitante de Levamisol e ivermectina não foram estabelecidas.

Não há relatos de interação de alimentos com Levamisol.

Não há relatos de interação de Levamisol com exames laboratoriais.

Levamisol: Precauções

A experiência de estudos clínicos em crianças com menos de 6 meses de idade é escassa. Levamisol só deve ser administrado a crianças muito pequenas se a infestação por vermes interferir significativamente com seu estado nutricional e desenvolvimento físico.

Há alguma evidência que a exposição repetida ao Levamisol pode provocar reações alérgicas, incluindo alterações hematológicas, tais como leucopenia. Portanto, a dose recomendada não deve ser ultrapassada. É necessário cautela quando Levamisol é usado em combinação com medicamentos que podem afetar negativamente a hematopoiese.

Há relatos de associação com leucopenia, neutropenia/agranulocitose quando Levamisol foi administrado em doses superiores à dose recomendada e por períodos prolongados de tempo. Além disso, vasculite leucocitoclástica também foi relatada com um uso não indicado de Levamisol.

Não há evidência que o Levamisol afete de forma adversa a capacidade de dirigir ou operar máquinas em geral, embora tenha sido relatada encefalopatia como um efeito colateral muito raro do tratamento.

O Levamisol não se mostrou teratogênico em animais, mas teve efeito embriotóxico em doses tóxicas para as fêmeas. Estudos adequados e controlados não foram conduzidos em mulheres grávidas e, portanto, Levamisol não deve ser administrado a gestantes, a menos que os benefícios potenciais justifiquem os riscos.

Não se sabe se o Levamisol é excretado no leite humano, no entanto, sabe-se que ele é excretado no leite da vaca.

Devido ao potencial risco de reações adversas em lactentes, a interrupção da amamentação ou do Levamisol deve ser decidida pelo médico, levando-se em conta a importância do medicamento para a mãe.

Os estudos de reprodução em animais não mostraram efeitos na fertilidade.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Levamisol é indicado para crianças e adultos.

Não há recomendação de ajuste posológico para pacientes idosos e outros grupos de risco.

Levamisol: Ação da substância no organismo

Resultados de Eficácia

Em estudo multicêntrico com 1734 pacientes com ascaridíase, Levamisol apresentou melhor taxa de cura (91%) e de redução de ovos (98%) quando comparado a pirantel, piperazina e placebo. As taxas de reinfecção foram menores nos pacientes que receberam Levamisol em relação aos que receberam as outras drogas.

Referências

1. Moens M.; Dom J.; Burke W.E.; Schlossberg S.; Schuermans V., Levamisole in Ascariasis. The
American society of Tropical Medicine and Hygiene 27 (5): 897-904, 1978.

Características Farmacológicas

O Levamisol é um anti-helmíntico de ação rápida que paralisa a musculatura do verme dentro de segundos de contato ao agir nos gânglios nervosos do nematoide. Incapaz de mudar de posição, os vermes são expelidos pelos movimentos peristálticos normais, em geral dentro de 24 horas após a administração do Levamisol.

Embora seja certo que o Levamisol tem influência principalmente no sistema neuromuscular dos nematoides, é possível que em alguns helmintos a inibição do sistema da fumarato redutase também contribua para a eficácia antihelmíntica do Levamisol.

O Levamisol tem absorção rápida no trato gastrintestinal após a administração de uma dose oral única de 50 mg. Concentrações plasmáticas máximas médias de 0,13 mcg/mL são obtidas dentro de 1,5 horas a 2 horas; e sua meia-vida de eliminação plasmática é de 3 a 6 horas. O Levamisol é extensivamente metabolizado no fígado para muitos metabólitos, que são excretados predominantemente através dos rins (cerca de 70% em 3 dias) e, em menor extensão, nas fezes (5%). Menos de 5% da dose é excretada inalterada na urina e menos de 0,2% nas fezes.

O principal metabólito recuperado na urina é o p-hidroxilevamisol e seu conjugado glicuronídeo (12% da dose). Na presença de cirrose , a C máx do Levamisol não é evidentemente aumentada, mas a ASC mostra aumento de 4 vezes.

Em doses clinicamente relevantes, os dados não clínicos não revelam riscos especiais para os seres humanos, com base em estudos convencionais de toxicidade de dose aguda e dose repetida, reprodução, toxicidade genética e carcinogenicidade. Em cães, após mais de dois meses de administração diária, foi observada anemia hemolítica totalmente reversível, na dose de 20 mg/kg.

Em ratos, em doses tóxicas para as fêmeas de 160 mg/kg, foi observado ligeiro aumento na embriotoxicidade (reabsorção embrionária e peso ao nascer levemente menor). Não foram observados efeitos teratogênicos em nenhum estudo.

Fonte do conteúdo

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Ascaridil ® .

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.