Corynebacterium ParvumBula do Princípio Ativo

Corynebacterium Parvum - Para que serve?

Corynebacterium Parvum é indicado como imunoterapia profilática/curativa ou adjuvante nas infecções de pele, tais como furunculoses, foliculites, dermatites fúngicas e bacterinas ou ulcerativas causadas por protozoários e verrugas vulgares.

Corynebacterium Parvum também pode ser utilizado como adjuvante em imunoterapias para reduzir o tempo de indução e aumentar a eficácia da imunoterapia.

Sua ação estimuladora do retículo endoplasmático pode extender-se para uma melhora significativa nas defesas do sistema imunológico inato como medicamento ativo ou adjuvante.

Corynebacterium Parvum: Contraindicação de uso

Não deve ser utilizado por indivíduos que fazem uso contínuo de imunossupressores (transpantados) ou durante todo o período de gravidez.

Corynebacterium Parvum: Posologia e como usar

As aplicações utilizadas como adjuvante em imunoterapias não específicas são de 0,5mL na concentração de 2mg/mL, esta é uma referência ao Corynebacterium Parvum que pode ser encontrado comercializado no Brasil.

A eficácia da terapia vai depender de vários fatores tais como a imunogenicidade da infecção, localização e concentração de P.Acnes usada, assim como a periodicidade e forma de administração.

A forma de administração com menos efeitos relacionados a presença de pirogênio é a subcutânea profunda na concentração de 0,5mg/mL em doses de 0,5mL com intervalos de 3/3, 5/5 e 7/7 são bem tolerados.

Ocorre uma melhora clínica inicial até o vigésimo primeiro dia, após, os efeitos diminuem, neste caso é necessário um intervalo de 2 semanas para reiniciar a terapia com P. Acnes.

Aplicar por via subcutânea profunda utilizando seringa de insulina ou tuberculina.

Agite o frasco antes de retirar o volume a ser injetavo.

A aplicação deve ser realizada por um profissional de saúde habilidade.

Preparar o local da injeção e aplicar o medicamento.

Realize assepsia do local de aplicação com álcool 70%, 3cm acima do cotovelo.

Doses semanais (a cada 7 dias) de 0,5mL, até o final do frasco.

A partir de 3 anos.

Doses semanais (a cada 7 dias). Iniciando com doce de 0,05mL, seguindo para 0,1mL, 0,15mL, 0,2mL e 0,25mL.

Após manter dose de 0,25mL até o final do frasco.

Uso subcutâneo.

Corynebacterium Parvum - Reações Adversas

O produto é bem tolerado e não há relatos de reações adversas.

Pode ocorrer eritema (vermelhidão no local de aplicação) e dor local que deve desaparecer em algumas horas.

Caso seja muito incômodo procurar orientação médica.

Corynebacterium Parvum: Interações medicamentosas

Não deve ser utilizado junto com antialérgicos , ou imunossupressores ou corticoides (injetáveis oral ou de uso ópico) salvo orientação médica.

Seus efeitos podem ser reduzidos com o uso de corticóides.

Não há relatos de outras interações medicamentosas.

Corynebacterium Parvum: Precauções

A imunoestimulação com P. acnes deve ser acompanhada pelo médico assistente ou profissional da saúde, pois indivíduos diferentes respondem de formas diferentes para uma mesma concentração, nestes casos, as doses podem ser aumentadas ou diminuídas, assim como o intervalo das aplicações no sentido de se obter resultados satisfatórios em períodos mais curtos.

Corynebacterium Parvum: Ação da substância no organismo

Resultados de Eficácia

Há uma grande quantidade de publicações envolvendo esta bactéria gram-positiva e anaeróbica, que apresenta similaridades com o BCG. Estas publicações tem início no começo da década de 1970 e vai até o início da década de 1990, com poucos artigos posteriores.

Na maiores das publicações foram utilizados animais. E na minoria, humanos (todos com cânceres nos estágios de I ao IV). Os modelos de estudo com roedores, equinos, primatas, bovinos e até mesmo humanos mostraram-se promissores, correlacionando o aumento da atividade dos macrógados e dos linfócitos B com a melhora nos estados sintomatológicos de diversas patologias (infecciosas e neoplásicas) envolvendo vírus, bactérias, protozoários, tecidos e células tumorais.

O aumento da longevidade esperada baseada no tipo de câncer foi relatada na maioria dos estudos.

Todos os artigos publicados neste período (1970 — 1990) tiveram como principal foco explorar como, e o quanto, as propriedades biológicas do Lisado de P. Acnes poderiam influenciar nas respostas imunológicas, principalmente relacionadas às neoplasias.

Características Farmacológicas

O mecanismo de ação antitumoral pode ser explicado se considerarmos que uma célula tumoral (ou células) está se esquivando do sistema imune e utilizando os mesmos mecanismos de escape presente em protozoários parasitas.

No entanto, se aumentarmos o contigente populacional das células de defesa e as deixarmos em alerta (ativadas), a possibilidade estatística de uma destas células passar a ter a capacidade de identificar as células tumorais aumenta, sendo assim, seriam reconhecidas e eliminadas.

O lisado de P. Acnes tem um grande efeito imunomodulador na ativação das células NK e dos macrófagos, sendo atribuída a ativação destas células a indução na produção do Fator de Necrose TUmoral alfa (FNT-a) pelos monócitos e por células sanguíneas periféricas (células dendríticas), esta observação ocorreu in vitro.

A figura ao lado demonstra a redução do quantitativo bacteriano no fígado e no baço de ratos infectados por pela bactéria L. Monocytogenes, após uma aplicação de 200mcg do Lisado de P. Acnes, a redução é perceptível no dia 4, 7 e 14 após a aplicação.

A destruição das bactérias se dá por fagocitose dos macrófagos, que tiveram suas populações aumentadas e ativadas pelo lisado de P. acnes.

% de fagocitose (destruição bacteriana)

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.