Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + NicotinamidaBula do Princípio Ativo

Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida - Para que serve?

O medicamento Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida é um suplemento vitamínico destinado ao tratamento de deficiência de vitaminas do Complexo B e para pacientes que apresentam possibilidade de desenvolver carência destas vitaminas, como pode ser observado em indivíduos sob dieta restritiva ou inadequada, idosos ou durante a gravidez e aleitamento.

Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida: Contraindicação de uso

Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida é contraindicado a pacientes que apresentam hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula.

O uso deste medicamento é contraindicado a pacientes diagnosticados com Doença de Parkinson que façam uso de medicamentos contendo levodopa isolada.

Este medicamento é contraindicado para menores de 7 anos.

Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida: Posologia e como usar

Utilizar apenas a via oral. O uso deste medicamento por outra via pode causar a inefetividade do medicamento ou mesmo promover danos à saúde.

Este medicamento não pode ser partido, aberto ou mastigado.

Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida - Reações Adversas

Os eventos adversos estão relacionados à ingestão de altas doses de medicamentos contendo piridoxina. Os sintomas decorrentes desta superdose podem ser observados no subitem “ Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida maior do que a recomendada? ”.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificação de Eventos Adversos e Medicamentos- VIGIMED, disponível em http://portal.anvisa.gov.br/vigimed, ou para a Vigilância Sanitária ou Municipal.

Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida: Superdose

A administração de altas doses e por períodos prolongados de piridoxina pode levar ao aparecimento de síndrome de neuropatia sensorial. Indivíduos com esta síndrome apresentam sintomas como parestesia e hiperparestesia, fraqueza muscular, dor óssea, fasciculação e dormência em extremidades.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida: Interações medicamentosas

A administração concomitante de suplemento vitamínico contendo piridoxina e medicamento contendo levodopa isolada, utilizada para o tratamento sintomático de Doença de Parkinson, pode levar a uma diminuição do efeito do último fármaco mencionado. Esta diminuição é decorrente do aumento da degradação periférica da levodopa, conseqüentemente, ocasionando uma diminuição de sua concentração sérica. Entretanto, caso a levodopa seja administrada juntamente com a carbidopa, este efeito não é observado.

A administração concomitante de fenitoína e fenobarbital com medicamentos contendo piridoxina pode levar a uma diminuição da concentração sérica dos dois primeiros fármacos, provavelmente devido a um mecanismo de aumento do metabolismo destes fármacos.

Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida: Precauções

Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se suspender o uso do medicamento.

O medicamento Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida não deve ser administrados em doses maiores do que as doses recomendadas e por períodos prolongados.

Pessoas que fazem uso dos medicamentos citados no item Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida com outros remédios? devem ter cautela na administração de medicamentos polivitamínicos contendo piridoxina em sua formulação.

Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida é classificado como um medicamento de Categoria C, de acordo com a tabela que trata das categorias de risco de fármacos destinados às mulheres grávidas.

Não foram realizados estudos em animais nem em mulheres grávidas sobre o uso deste medicamento. A prescrição deste medicamento depende da avaliação do risco/benefício para o paciente.

O uso deste medicamento no período da lactação depende da avaliação do risco/benefício. Quando utilizado, pode ser necessária monitorização clínica e/ou laboratorial do lactente.

Atenção: Este medicamento contém açúcar (36mg de maltose/comprimido revestido), portanto, deve ser usado com cautela por portadores de Diabetes .

Atenção: Este medicamento contém o corante amarelo laca FD&C nº6 que pode, eventualmente causar reações alérgicas.

Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida: Ação da substância no organismo

Resultados de Eficácia

As vitaminas do Complexo B são obtidas principalmente da dieta, e os hábitos alimentares de determinadas populações (adolescentes e vegetarianos) podem levar ao aparecimento da deficiência destas vitaminas.

Em estudo conduzido, durante dois anos, em 146 crianças que apresentavam deficiência de tiamina, ocasionada pela alimentação inadequada, foi constatado que o uso de um suplemento multivitamínico , contendo 2,5 mg de tiamina, durante duas semanas, é capaz de normalizar os níveis plasmáticos desta vitamina.

Um estudo, realizado com um grupo de 210 adolescentes, demonstrou que 26,6% destes indivíduos apresentavam deficiência de riboflavina. Após a constatação desta carência, 11 indivíduos foram submetidos à suplementação com riboflavina. Após duas semanas de tratamento, os autores do estudo concluíram que o estado de deficiência inicialmente observado pode ser revertido com a utilização de um suplemento vitamínico contendo riboflavina.

Os idosos podem ser considerados como grupo onde a deficiência de vitaminas do complexo B é prevalente. Neste caso, podemos citar a carência de tiamina, piridoxina e riboflavina.

De acordo com o estudo realizado em 80 mulheres idosas, a suplementação com 10 mg de tiamina por dia, durante 5 semanas, demonstrou ser capaz de aumentar os níveis séricos de marcadores da vitamina B1 . Neste estudo, 40 mulheres receberam o suplemento, enquanto que 40 mulheres receberam apenas placebo. Ao final do estudo, 90% das mulheres que receberam o suplemento de tiamina, apresentavam níveis normais desta vitamina.

No caso da piridoxina, o efeito da sua suplementação foi estudado em 45 pacientes idosos, entre os quais 33% apresentavam deficiência desta vitamina. Nestes pacientes, a suplementação com 2 mg de cloridrato de piridoxina durante um ano foi capaz de reverter completamente à deficiência observada. Ainda, em outro estudo, envolvendo indivíduos idosos com deficiência de riboflavina, a suplementação de 23 indivíduos com 1,6 mg desta vitamina, durante 12 semanas, foi capaz de aumentar seus níveis quando comparados com grupo placebo.

Diversos autores relatam que, durante a gravidez e amamentação, existe uma necessidade aumentada de vitaminas do complexo B, sendo que a suplementação nestes casos é indicada.

Em um estudo duplo-cego, realizado com 196 mulheres grávidas, o efeito da suplementação com piridoxina foi estudado. A análise nutricional das participantes revelou que 83% destas apresentavam ingesta menor do que a recomendada de piridoxina. Ainda, quando comparadas ao grupo controle (mulheres não grávidas), as gestantes apresentam níveis séricos inferiores do indicador desta vitamina no sangue (piridoxal fosfato). A suplementação diária com 7,5 mg de cloridrato de piridoxina (equivalente a 6,2 de piridoxina) foi capaz de prevenir uma diminuição nos níveis de piridoxal fosfato de 30% durante a gravidez e 60% durante o parto.

Referências Bibliográficas:

Neumann, Charlotte G. et al. Biochemical evidence of thiamin deficiency in young Ghanaian children. The American Journal of Clinical Nutrition, n. 32, p.99-104, jan. 1979.
Lopez, Rafael; SCHWARTZ, June V; Cooperman, Jack M. Riboflavin deficiency in an adolescent population in New York City. The American Journal of Clinical Nutrition, n. 33, p.1283-1286, jun. 1980.
Smidt, Laurie J. et al. Influence of Thiamin Supplementation on the Health and General Well-being of an Elderly Irish Population With Marginal Thiamin Deficiency. Journal Of Gerontology: Medical Sciences, v. 46, n. 1, p.M16-22, 1991.
Tolonen, Matti et al. Vitamin B6 Status of Finnish Elderly.: Comparison with Dutch younger adults and elderly. The Effect of Supplementation. International J. Vit. Nutr. Res, n. 58, p.73-77, 1988.
Mckinley, M C et al. Effect of riboflavin supplementation on plasma homocysteine in elderly people with low riboflavin status. European Journal Of Clinical Nutrition, n. 56, p.850-856, 2002.
Schuster, Karen; Bailey, Lynn B; MAHAN, Charles S. Effect of Maternal Pyridoxine-HCI Supplementation on the Vitamin B-6 Status of Mother and Infant and on Pregnancy Outcome. The Journal Of Nutrition, n. 114, p.977-988, 1984.

Características Farmacológicas

O medicamento Cloridrato de Tiamina + Fosfato Sódico de Riboflavina + Cloridrato de Piridoxina + Nicotinamida apresenta em sua composição vitaminas representantes do Complexo B, como tiamina, riboflavina, piridoxina e nicotinamida, componentes hidrossolúveis que atuam em diversas reações no organismo.

A vitamina B1 atua como coenzima na descarboxilação de α-cetoácidos (como piruvato e α-cetoglutarato) através de sua forma ativa coenzima pirofosfato de tiamina (TPP). A absorção de tiamina proveniente da dieta ocorre no trato gastrintestinal, na porção intestinal, por meio de um transporte ativo mediado por transportador. Dependendo da quantidade de tiamina presente no meio, a absorção da vitamina também pode ocorrer através de um mecanismo de difusão passiva. A deficiência de tiamina está relacionada com o aparecimento do beribéri, com sintomas neurológicos ou cardíacos.

A vitamina B2 administrada por via oral é rapidamente absorvida pelo trato gastrintestinal e enterócitos, através de um mecanismo de transporte ativo. As moléculas absorvidas são transportadas ao fígado , geralmente ligadas à albumina ou imunoglobulinas, o qual é um importante local de armazenamento da vitamina. No interior de hepatócitos, a riboflavina sofre reações de fosforilação para formar FAD (Dinucleotídeo de Flavina Adenina) e FMN (Flavina mononucletídeo), formas ativas da vitamina.

A piridoxina ou vitamina B6 está envolvida principalmente no metabolismo de aminoácidos . É rapidamente absorvida pelo trato gastrintestinal, sendo que sua principal forma ativa é o piridoxal fosfato.

A absorção desta vitamina B3 ocorre através difusão passiva nos enterócitos. A conversão da vitamina a suas formas ativas a NAD (nicotinamida adenina dinucleotídeo) ou (NADP) fosfato de nicotinamida adenina dinucleotídeo se dá no interior dos enterócitos.

Fonte do conteúdo

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.