Cloridrato de OxitetraciclinaBula do Princípio Ativo

Cloridrato de Oxitetraciclina - Para que serve?

Cloridrato de oxitetraciclina pomada oftálmica é indicada no tratamento de infecções oculares superficiais, envolvendo a conjuntiva e/ou a córnea, devido a microrganismos suscetíveis.

Cloridrato de Oxitetraciclina: Contraindicação de uso

É contraindicada nos casos de hipersensibilidade às tetraciclinas, à polimixina B ou a qualquer componente da fórmula.

Cloridrato de Oxitetraciclina: Posologia e como usar

A pomada deverá ser aplicada em pequena quantidade (aproximadamente 1 cm), dentro do saco conjuntival da pálpebra inferior, 4 a 6 vezes ao dia, até a cura completa da infecção. A duração do tratamento pode variar de um dia até várias semanas, dependendo da natureza e da gravidade da infecção.
No caso de blefarites, as crostas devem ser removidas antes da aplicação da pomada. Na profilaxia, o mesmo procedimento deve ser adotado no dia anterior à operação e por vários dias subsequentes.

Deve-se tomar cuidado para não contaminar o orifício da bisnaga durante a aplicação do medicamento.

Caso o paciente esqueça-se de utilizar cloridrato de oxitetracaína no horário estabelecido, deve fazê-lo assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário de usar a próxima dose, deve desconsiderar a dose esquecida e utilizar a próxima, continuando normalmente o esquema de doses recomendado pelo seu médico. Neste caso, o paciente não deve utilizar a dose duplicada para compensar doses esquecidas. O esquecimento de dose pode comprometer a eficácia do tratamento.

Cloridrato de Oxitetraciclina - Reações Adversas

Sistema imune: hipersensibilidade.
Sistema nervoso: sensação de queimação.
Visão: aumento do lacrimejamento.
Pele e tecido subcutâneo: dermatite de contato .
Geral: dor, sensação de corpo estranho.

Cloridrato de Oxitetraciclina: Interações medicamentosas

Não há interações conhecidas com o uso de Cloridrato de oxitetraciclina.

Cloridrato de Oxitetraciclina: Precauções

Assim como ocorre com outros antibióticos , a cloridrato de oxitetraciclina pode resultar no desenvolvimento de organismos não suscetíveis, incluindo fungos. É essencial a observação constante do paciente para esta possibilidade. Caso novas infecções devido a bactérias ou fungos não suscetíveis surjam durante o tratamento, medidas adequadas devem ser tomadas.

A aplicação tópica de Terramicina com polimixina B deve ser complementada com a administração sistêmica em casos de infecções graves ou que não respondam à terapia tópica isolada.

Não há estudos controlados disponíveis com o uso de tetraciclinas tópicas em mulheres grávidas. O uso de tetraciclinas sistêmicas em mulheres grávidas tem resultado no retardo do desenvolvimento do esqueleto e no crescimento ósseo nos fetos. No entanto, as tetraciclinas tópicas devem ser usadas durante a gravidez somente quando os possíveis benefícios superarem os riscos potenciais.

Não se sabe se as tetraciclinas aplicadas topicamente são encontradas no leite materno. As tetraciclinas são encontradas no leite materno após administração sistêmica. Devido ao potencial de reações adversas sérias em lactentes, deve-se decidir entre a descontinuação da amamentação ou do medicamento, considerando a importância do medicamento para a mãe.

A administração sistêmica de tetraciclinas durante o desenvolvimento dos dentes (metade final da gravidez, infância e crianças até 8 anos) pode causar descoloração permanente dos dentes, assim como retardo no desenvolvimento do esqueleto. Hipoplasia do esmalte dos dentes tem sido relatada. Embora estes efeitos sejam improváveis de ocorrer após a aplicação tópica de tetraciclinas devido às baixas doses utilizadas, a possibilidade de ocorrência destes efeitos deve ser considerada.

Não é esperado que preparações tópicas de oxitetraciclina apresentem influência na habilidade de dirigir ou operar máquinas. Entretanto, logo após a aplicação oftálmica, pode ocorrer um curto período de menor acuidade visual.

Cloridrato de Oxitetraciclina: Ação da substância no organismo

RESULTADOS DE EFICÁCIA

Um estudo comparou o uso de oxitetraciclina/polimixina tópica aplicada 1 vez ao dia durante 5 dias em 4 semanas com o uso de azitromicina oral na dose de 20mg/dia em esquemas de dose única, uma dose a cada 3 semanas e uma dose a cada 4 semanas no tratamento da ceratoconjuntivite causada por Clamydia trachomatis. Não houve diferença estatisticamente significante entre os dois tratamentos. O uso de terramicina pomada oftálmica se mostrou eficaz no controle da infecção endêmica por trachoma.

A oxitetraciclina é um antibiótico da família das tetraciclinas proveniente do metabolismo do Streptomyces rimosus. A oxitetraciclina é principalmente bacteriostática e exerce ação antimicrobiana por inibição da síntese proteica, sendo ativa contra uma ampla variedade de organismos Gram-negativos e Gram-positivos. Os fármacos da classe das tetraciclinas têm espectro antimicrobiano semelhante e é comum haver resistência cruzada entre eles.
O sulfato de polimixina B , pertencente ao grupo de antibióticos derivados do Bacillus polymyxa, é bactericida, sendo sua ação exclusivamente contra organismos Gram-negativos. Acredita-se que sua ação se dá por alteração na estrutura da membrana bacteriana, resultando em um extravasamento dos componentes intracelulares essenciais. É particularmente eficaz contra Pseudomonas aeruginosa e Haemophilus aegyptius, frequentemente encontrados em infecções oculares.
Assim, a combinação de oxitetraciclina e sulfato de polimixina B é uma associação antimicrobiana particularmente eficaz contra organismos causadores de infecções primárias ou secundárias.

- oxitetraciclina: em um estudo utilizando coelhos com suas córneas escoriadas, foram detectadas concentrações de 28 mcg/mL de cloridrato de oxitetraciclina no humor aquoso, 30 minutos após lavagem do olho por 5 minutos com solução contendo 5 mg/mL de oxitetraciclina.

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.