Cloridrato de ClordiazepóxidoBula do Princípio Ativo

Cloridrato de Clordiazepóxido - Para que serve?

Este medicamento é útil no alívio da ansiedade e da tensão nervosa. Não elimina, porém, as causas da ansiedade e da tensão nervosa.

O clordiazepóxido é um derivado benzodiazepínico dotado de propriedades ansiolíticas, sedativas e miorrelaxantes. Seu poder ansiolítico , entretanto, é bem superior à sua ação miorrelaxante. Sua ação ansiolítica decorre da complexação com re- ceptores específicos. Tais receptores estão situados nas sinapses GABA-érgicas em diferentes regiões do cérebro.

O clordiazepóxido é bem absorvido por via oral, sendo sua taxa de ligação protéica muito alta (96%); a biotransformação hepática origina metabólitos ativos. Sua meia-vida de eliminação é longa, como também a de seus metabólitos ativos. Sua excreção é renal.

Cloridrato de Clordiazepóxido: Contraindicação de uso

Pacientes com história de hipersensibilidade aos benzodiazepínicos ou a qualquer componente da fórmula.

Gravidez e lactação.

Deve-se evitar o tratamento prolongado em mulheres com chance de procriar.

Cloridrato de Clordiazepóxido: Posologia e como usar

Nas formas de pequena e média gravidade, a dose recomendada é de 1 comprimido de 10 mg, 3 a 4 vezes ao dia.

Nas formas graves 2 comprimidos de 10 mg, 2 a 4 vezes ao dia.

Nos casos mais graves, ou quando se deseja importante efeito miorrelaxante, recomenda-se 1 comprimido de 25 mg 3 a 4 vezes ao dia.

1 comprimido de 10 mg por dia.

Cloridrato de Clordiazepóxido - Reações Adversas

O Cloridrato de Clordiazepóxido é, em geral, bem tolerado. Astenia, fraqueza, incoordenação motora, alteração do funcionamento intestinal, fadiga ou sonolência podem ocorrer no início do tratamento, desaparecendo com a continuidade do mesmo ou com redução da dose.

Hipotensão , taquicardia, erupção cutânea, edema , irregularidade menstrual, náusea , constipação , sintomas extrapiramidais, assim como aumento ou diminuição da libido. Alterações no EEG foram observadas. Discrasias sanguíneas, icterícia e disfunção hepática foram relatadas ocasionalmente durante o tratamento. Como ocorre com todos os hipnóticos, sedativos e tranquilizantes, durante tratamento prolongado, existe o risco de farmacodependência em pessoas predispostas.

Sua interrupção abrupta pode ocasionar sintomas de abstinência. Recomenda-se redução gradual da posologia.

Cloridrato de Clordiazepóxido: Interações medicamentosas

Os pacientes devem abster-se de bebidas alcoólicas, pois as reações individuais são imprevisíveis.

Seu efeito sedativo pode ser intensificado por drogas de ação central, tais como neurolépticos, tranqüilizantes, antidepressivos , hipnóticos, analgésicos e anestésicos .

Embora estudos clínicos não tenham estabelecido a relação causa/efeito, foram relatados efeitos variáveis na coagulação em pacientes recebendo Cloridrato de Clordiazepóxido e anticoagulantes.

Interações de mínimo valor clínico foram relatadas com a cimetidina .

Cloridrato de Clordiazepóxido: Precauções

Segundo a dose e a sensibilidade do paciente, sua capacidade de reagir poderá ser influenciada. Desta forma, durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas. Precauções devem ser tomadas ao se administrar Cloridrato de Clordiazepóxido a pacientes com miastenia gravis, devido ao relaxamento muscular preexistente. Nos pacientes idosos ou portadores de insuficiência renal ou hepática, a dose deverá ser adaptada à tolerância individual, muito variável de paciente para paciente.

Os benzodiazepínicos não são indicados para o tratamento primário de doença psicótica, assim como também não devem ser utilizados isoladamente no tratamento da depressão ou ansiedade associada a depressão devido ao risco de suicídio.

Os benzodiazepínicos devem ser utilizados com extrema cautela em pacientes com história de uso de drogas e álcool.

Os pacientes idosos são mais sensíveis aos efeitos dos benzodiazepínicos no SNC. Recomenda-se que a dosagem seja limitada à menor dose eficaz e que seja aumentada gradualmente, se necessário, para diminuir a possibilidade de ataxia, vertigem e sedação excessiva, com possibilidade de queda e outros acidentes.

A meia-vida dos benzodiazepínicos pode ser mais longa nos pacientes idosos do que nos pacientes jovens.

O abuso deste medicamento pode causar dependência.

Cloridrato de Clordiazepóxido: Ação da substância no organismo

Características Farmacológicas

O Cloridrato de Clordiazepóxido é um derivado benzodiazepínico dotado de propriedades ansiolíticas, sedativas e miorrelaxantes. Seu poder ansiolítico, entretanto, é bem superior à sua ação miorrelaxante. Sua ação ansiolítica decorre da complexação com receptores específicos. Tais receptores estão situados nas sinapses GABA-érgicas em diferentes regiões do cérebro.

O Cloridrato de Clordiazepóxido é bem absorvido por via oral, sendo sua taxa de ligação protéica muito alta (96%); a biotransformação hepática origina metabólitos ativos. Sua meia-vida de eliminação é longa, como também a de seus metabólitos ativos. Sua excreção é renal.

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gerenciamento da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.