Menogon

Indicado para: Reposição hormonal

Menogon, para o que é indicado e para o que serve?

Menogon está destinado para o tratamento dos distúrbios da fertilidade nos seguintes casos:

Na mulher:

  • Esterilidade anovulatória (ausência do desenvolvimento do folículo de Graaf maduro e/ou liberação do óvulo durante o ciclo menstrual ), incluindo mulheres com síndrome de ovário policístico que não responderam ao tratamento com citrato de clomifeno ;
  • Falha do amadurecimento folicular e consequente insuficiência do corpo lúteo (caso outros tratamentos falharem) em mulheres com hipogonadismo hipogonadotrófico (deficiência no desenvolvimento e/ou função dos ovários em decorrência da secreção inadequada de gonadotropinas, que são hormônios da hipófise que atuam nos ovários);
  • Hiperestimulação controlada em programas de fertilização assistida (por exemplo, fertilização in vitro / transferência de embrião (FIV/TE), transferência de gameta intrafalopiano (GIFT) e injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI)).

No homem:

  • Casos de deficiência da espermatogênese (processo de formação dos espermatozoides) devido ao hipogonadismo hipogonadotrófico (deficiência no desenvolvimento e/ou função dos testículos em decorrência da secreção inadequada de hormônios da hipófise, que atuam nos testículos).

Como este medicamento funciona?

Menogon possui um efeito hormonal sobre as glândulas reprodutivas nas mulheres e nos homens.
Nas mulheres atua sobre os ovários e nos homens sobre os testículos, auxiliando o processo de amadurecimento tanto do folículo, na mulher, quanto do espermatozoide, no homem.
Além disso, atua na produção de hormônios sexuais, substâncias que auxiliam os processos de fertilidade masculina e feminina.

Quais as contraindicações do Menogon?

Contraindicações
Menogon não deve ser utilizado caso a resposta para alguma das perguntas a seguir for “SIM”:

Mulheres:

  • Você possui tumores da glândula hipófise ou do hipotálamo?
  • Você sofre de câncer nos ovários, no útero ou nos seios?
  • Você está grávida ou está amamentando?
  • Você está tendo sangramento vaginal de causa desconhecida?
  • Você possui alergia a qualquer um dos componentes da fórmula?
  • Você possui aumento dos ovários ou cisto ovariano não causado por ovário policístico?

Homens:

  • Você possui tumores da glândula hipófise ou do hipotálamo?
  • Você possui tumor nos testículos?
  • Você sofre de câncer de próstata ?
  • Você possui alergia a qualquer um dos componentes da fórmula?

Menogon não deve ser administrado nos seguintes casos nos quais o resultado do tratamento provavelmente não será favorável:

Em mulheres:

  • Deficiência primária dos ovários;
  • Mal-formação dos órgãos sexuais incompatível com a gravidez;
  • Tumores fibroides (miomas) do útero sendo incompatíveis com a gravidez.

Em homens:

  • Insuficiência testicular primária.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.

No caso de tratamento de infertilidade, a gravidez somente ocorrerá quando o tratamento com Menogon já tiver sido encerrado.

Como usar o Menogon?

Menogon deve ser utilizado por via intramuscular.

Modo de usar:

1) Abrir a ampola do diluente.
2) Aspirar o seu conteúdo (1 ml) em seringa esterilizada e introduzir o diluente na ampola com o pó de Menogon.
3) Completada a dissolução, aspirar o líquido e injetar. Deve ser evitada a agitação vigorosa.

O pó liofilizado deve ser reconstituído apenas com o diluente fornecido na embalagem. A solução não deve ser utilizada caso contenha partículas ou não esteja límpida.

A concentração de Menogon após a reconstituição de 1 ampola de pó liofilizado com 1 ampola de diluente é de 75 U.I. e o volume final da solução reconstituída é de cerca de 1 ml.

Menogon não deve ser administrado na mesma injeção com outros produtos.

Posologia

O tratamento com Menogon deve ser iniciado sob a supervisão de um médico com experiência no tratamento de problemas de fertilidade.
As recomendações sobre a dosagem e duração de tratamento podem ser alteradas dependendo do tratamento atual.

Na mulher:

Existem grandes variações na resposta ao tratamento de paciente para paciente com a gonadotropina exógena. Com isso, é muito difícil estabelecer um esquema de dosagem para a indução da ovulação em mulheres anovulatórias. Portanto, as doses devem ser ajustadas individualmente, de acordo com a resposta ovariana. Isso requer acompanhamento dos níveis de estrógenos e/ou ultrassonografia.
Em geral, um esquema sequencial de tratamento é recomendado, esse inicia-se com a administração diária de 1 ou 2 ml de Menogon. A dose diária é gradualmente aumentada até os níveis de estrógenos iniciarem ascensão. Essa dose diária efetiva é então mantida até os níveis adequados de estrógenos pré-ovulatórios serem atingidos. Se os níveis de estrógenos se elevarem muito rapidamente, a dose diária deverá ser diminuída.
Quando os níveis adequados de estrógenos pré-ovulatórios forem atingidos, Menogon deverá ser suspenso.
A ovulação pode então ser induzida pela administração de altas doses de HCG (Choragon), por exemplo 5.000-10.000 U.I. por 1 ou 3 dias. Uma injeção repetida de 5.000 U.I. de HCG poderá ser administrada 7 dias após para prevenir a insuficiência do corpo lúteo.

No homem:

A posologia usual compreende 1 ou 2 ml de Menogon, 3 vezes por semana.
Essas injeções são geralmente combinadas com 3.000 U.I. de HCG em doses divididas durante cada semana, a fim de se obter o efeito LH necessário. Esse tratamento deverá ser prolongado pelo mínimo de 10 a 12 semanas, antes que alguma melhora na espermatogênese possa ser esperada. Uma vez constatada, em alguns casos, a manutenção poderá ser feita somente com HCG.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Caso ocorra esquecimento de administração, entrar em contato com o médico.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Quais cuidados devo ter ao usar o Menogon?

A terapia com gonadotropinas requer a monitorização regular da resposta ovariana verificada apenas por ultrassonografia, ou em combinação com a medida do nível de estradiol sanguíneo. Existe uma variabilidade considerável de resposta entre as pacientes à medicação e alguns pacientes podem apresentar baixa resposta ao tratamento.

A primeira injeção de Menogon deve ser realizada sob supervisão direta do médico.

Mulheres:

Antes de iniciar o tratamento, a infertilidade do casal e possíveis contraindicações para uma gravidez devem ser avaliadas. Em particular, as pacientes devem ser avaliadas quanto ao hipotireoidismo (diminuição da função da tireoide ), deficiência adrenocortical (diminuição das glândulas supra-renais), hiperprolactinemia (aumento da quantidade sanguínea de prolactina) e tumores da hipófise e do hipotálamo, nestes casos deve ser realizado tratamento específico.

Pacientes que estão sob estímulo do crescimento folicular, tanto para o tratamento de esterilidade anovulatória, quanto em programas de fertilização assistida, podem apresentar aumento do ovário ou hiperestimulação. Recomenda-se seguir a posologia prescrita pelo seu médico e monitorar a terapia para minimizar a incidência de tais eventos. Os dados sobre desenvolvimento e maturação do folículo requerem a cuidadosa interpretação de um médico experiente.

Há um risco aumentado de ocorrer: síndrome de hiperestimulação ovariana (estimulação excessiva dos ovários), gravidez múltipla (mais de um bebê na mesma gravidez), perda da gravidez, gravidez ectópica (gravidez que ocorre fora do útero), câncer no sistema reprodutivo, mal-formação congênita (mal-formação existente desde o nascimento) e eventos tromboembólicos (eventos causados devido à obstrução dos vasos sanguíneos por coágulos sanguíneos). Na ocorrência de algum desses eventos, entrar em contato com o seu médico imediatamente.

Homens:

Níveis endógenos (do próprio organismo) elevados de FSH são indicativos de deficiência testicular primária. Tais pacientes não respondem à terapia com Menogon e com hCG ( gonadotropina coriônica ).
Recomenda-se a análise do sêmen entre 4 a 6 meses após o início do tratamento para avaliar a resposta.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Menogon?

As possíveis reações adversas são:

Mulheres:

Reação muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Reação e dor no local de injeção.

Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

dor de cabeça ; náusea, dor abdominal, vômito ; erupção cutânea; síndrome da hiperestimulação ovariana leve, moderada e severa; sintomas de gripe .

Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

febre

Reação muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento):

alergia.

Reações no local da injeção foram relatadas em aproximadamente 55-60% da população estudada exposta em estudos clínicos que avaliaram a tolerância local. Em aproximadamente 12%, a reação foi considerada severa. Após administração intramuscular, reações no local da injeção foram relatadas em até 13% da população exposta.

Casos isolados de reações anafiláticas foram relatados com a administração de menotropinas.

Casos isolados de complicações tromboembólicas e de torções ovarianas foram relatadas com a administração de gonadotropinas.

Homens:

Foram relatados ginecomastia (crescimento das mamas masculinas devido à alteração hormonal), acne e ganho de peso com o tratamento com gonadotropinas. Além disso, reações no local de injeção e alergia também podem ocorrer na população masculina.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

População Especial

Cuidados e advertências para populações especiais

Não deve ser utilizado por pacientes idosos. Não deve ser utilizado por crianças.

Efeito na capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

Não foi realizado nenhum estudo sobre o efeito na capacidade de dirigir e operar máquinas. No entanto, Menogon parece não ter influência sobre a habilidade de dirigir e operar máquinas nos pacientes.

Qual a composição do Menogon?

Cada ampola de pó liofilizado contém:
FSH (hormônio folículo estimulante) -  75 U.I.
LH (hormônio luteinizante) - 75 U.I.
Excipientes: lactose e hidróxido de sódio.

Cada ampola de diluente de 1 ml contém:
cloreto de sódio, ácido clorídrico e água para injetáveis .

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Menogon maior do que a recomendada?

Os sintomas da superdosagem não são conhecidos, porém pode-se esperar que ocorra síndrome de hiperestimulação ovariana, ou seja, a estimulação excessiva dos ovários.

Caso ocorra síndrome de hiperestimulação severa, o tratamento deve ser interrompido, a paciente pode ser tratada em hospital e o médico deverá iniciar o tratamento específico para a síndrome de hiperestimulação ovariana.
O tratamento de síndrome de hiperestimulação ovariana dependerá do sintoma apresentado.
Os sintomas associados à síndrome de hiperestimulação ovariana são: dor e inchaço abdominal, náusea, vômito, diarreia , ganho de peso, dificuldade de respirar e diminuição da urina.

Em homens não são conhecidos os efeitos da superdose.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Menogon com outros remédios?

A interação com outros medicamentos é desconhecida. Apesar de não haver nenhum estudo, acredita-se que o uso concomitante de Menotropina com o citrato de clomifeno aumente a resposta folicular.

Quando for utilizado um agonista de GnRH para a dessensibilização da hipófise, uma dose mais alta de Menotropina deve ser necessária para atingir uma resposta folicular adequada.

A menotropina pode ser injetada junto com o hCG ( gonadotropina coriônica humana) no tratamento da infertilidade masculina.

Alterações nos exames laboratoriais

Menotropina pode causar alteração nos níveis de hormônios sanguíneos, portanto tais exames podem ter resultados alterados em pacientes que utilizaram o produto.

Interação alimentícia: posso usar o Menogon com alimentos?

Não há dados sobre a interação de Menotropina com alimentos e álcool.

Qual a ação da substância do Menogon (Menotropina)?

Resultados de eficácia

Estudos comprovam que a menotropina representa uma alternativa viável, devido a aplicação conveniente e o custo-benefício serem maiores em relação ao FSHr (hormônio folículo estimulante recombinante).

A eficácia de Menotropina pode ser comprovada com base nos dados de estudos realizados com este propósito, nos quais pode-se verificar que a taxa de gravidez em curso é maior com o uso de menotropina do que com o FSHr

Menotropina FSHr
Total de mulheres submetidas a tratamento 344 317
Taxa de gravidez em curso 25% (n=85) 22% (n=71)

Outros estudos que compararam a efetividade de menotropina com FSHr em protocolos de estimulação ovariana de fertilização in vitro (FIV) ou injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI) demonstraram que

A segurança e a quantidade total de gonadotropina utilizada mostram-se comparáveis. Como a menotropina é de menor custo, uma análise de custo-benefício é esperada em favor da menotropina em ciclos de reprodução assistida em mulheres com supressão da hipófise. Por consequência, no ato da prescrição de gonadotropinas para hiperestimulação ovariana em FIV, deve-se usar a medicação mais acessível, no caso o Menotropina.

Outros estudos randomizados comprovaram que Menotropina (menotropina) é tão eficaz e seguro quanto o FSH-recombinante (FSHr). A segurança também foi comprovada, uma vez que as diferenças estatísticas não foram significativas quanto às taxas de aborto, gravidez múltipla, ciclos cancelados e síndrome da hiperestimulação ovariana.

Dados pré-clínicos de segurança

Os dados não-clínicos não revelam riscos especiais para humanos, os quais não foram observados durante a extensa experiência clínica.

Não foram realizados estudos de toxicidade reprodutiva para avaliar os efeitos de Menotropina durante a gravidez ou pós-parto , pois o uso de Menotropina não é indicado durante esses períodos.

Menotropina consiste de hormônios naturais e não é esperado que seja genotóxico. Os estudos de carcinogenicidade não foram realizados, pois a indicação do produto é para o tratamento de curto prazo.

Características farmacológicas

Propriedades farmacodinâmicas

Menotropina é uma menotropina altamente purificada, que contém tanto a atividade do FSH quanto a atividade do LH, induzindo o crescimento folicular ovariano, o seu desenvolvimento e também a produção de esteroides das gônadas nas mulheres que não possuem deficiência ovariana primária. O FSH é o primeiro a participar do recrutamento e do crescimento no início da foliculogênese, enquanto que o LH é importante para a esteroidogênese e está envolvido nos eventos fisiológicos levando ao desenvolvimento de um folículo pré-ovulatório adequado.

O crescimento folicular pode ser estimulado pelo FSH, mesmo na ausência total do LH, porém, os folículos resultantes desenvolvem-se com anormalidades e estão associados a baixos níveis de estradiol e na incapacidade de luteinização como um estímulo ovulatório normal.

De acordo com a atividade do LH em aumentar a esteroidogênese, os níveis de estradiol associados com o tratamento com Menotropina são maiores do que com as preparações de FSH recombinante em ciclos de supressão ( down-regulation ) para FIV/ICSI. Este fato deve ser considerado durante a monitorização da resposta dos pacientes, baseado nos níveis de estradiol. A diferença nos níveis de estradiol não é encontrada quando se utiliza um protocolo de indução da ovulação com baixa dosagem, em pacientes anovulatórias.

A gonadotropina coriônica humana (hCG) é um hormônio naturalmente presente na urina de mulheres que se encontram no período pós-menopausa. Este hormônio é o contribuinte principal da atividade do LH presente no Menotropina.

Propriedades farmacocinéticas

O perfil farmacocinético do FSH de Menotropina foi documentado. Após 7 dias de doses repetidas com 150 UI de Menotropina em voluntárias saudáveis submetidas à supressão hipofisária, a concentração máxima no plasma de FSH (linha basal) (média ± DP) para a administração SC e IM foi respectivamente 8,9 ± 3,5 UI/L e 8,5 ± 3,2 UI/L. As concentrações máximas de FSH foram atingidas dentro de 7 horas por ambas as vias de administração.

Após administrações repetidas, o FSH foi eliminado com meia vida (média ± DP) de 30 ± 11 horas e 27 ± 9 horas para a administração SC e IM respectivamente. Apesar da concentração individual do LH versus as curvas de tempo mostrarem um aumento na concentração do LH após a administração de Menotropina, os dados disponíveis são muito escassos para serem objetos de análise da farmacocinética.

A Menotropina é excretada basicamente pelos rins.

Não foi investigada a farmacocinética de Menotropina em pacientes com disfunção hepática ou renal.

Como devo armazenar o Menogon?

Menogon deve ser armazenado a temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C) e protegido da luz, em sua embalagem original.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

O produto deve ser utilizado imediatamente após a reconstituição.

Aspecto físico

Pó liofilizado e diluente (solução injetável).

Características organolépticas

Pó liofilizado: pastilha branca ou quase branca. Diluente: líquido incolor e transparente.

A solução reconstituída deve ser clara e livre de material não dissolvido.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Mensagens de Alerta

Este medicamento contém LACTOSE.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Dizeres Legais do Menogon

MS: 1.2876.0007
Farm. Resp.: Helena Satie Komatsu
CRF/SP 19.714

Fabricado por: Ferring GmbH
Wittland 11 D-24109 - Kiel, Alemanha
Embalado por: Ferring International Center SA - FICSA
Chemin de la Vergognausaz 50, 1162 - St. Prex, Suíça
Importado e comercializado e registrado por:
Laboratórios Ferring Ltda. Praça São Marcos, 624 - São Paulo - SP
05455-050
CNPJ: 74.232.034/0001-48

SAC: 0800 772 4656
www.ferring.com.br

Entramos em contato com você

Ganhe tempo com mais praticidade na gestão da agenda, controle financeiro e prontuários eletônicos.